Atualidades

Cremepe pede ajuda ao MPF

Um dia após a aprovação da transferência de R$ 5 milhões dos casos de alta complexidade para a compra de medicamentos, os acontecimentos envolvendo a saúde em Pernambuco continuam a todo vapor. Na quinta-feira (17.03), o presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) , Ricardo Paiva, afirmou que vai ingressar no Ministério Público Federal (MPF) solicitando intervenção no Governo Federal.
    
“Para se achar uma solução, é preciso primeiro reconhecer que a situação está caótica, tanto no espaço físico como de pessoal. Há muitas coisas a serem feitas em um espaço curto de tempo”, afirmou, completando em seguida: “Como é que o Ministério da Saúde é um dos que têm menos recursos, tendo em vista a quantidade de ações necessárias, e ainda terá retirado dos cofres R$ 1,3 bilhão para colocar no Bolsa-Escola?”.
    
O presidente do Cremepe também criticou a aprovação da Assembléia Legislativa em remanejar os R$ 5 milhões de recursos da alta complexidade para compra de medicamentos. “É de se lamentar. É preciso buscar novos investimentos, e não tirar o dinheiro de um lugar para colocar em outro. Por isso, o Cremepe vai ingressar no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pedindo a intervenção do governador Jarbas Vasconcelos para não permitir que seja sancionado o projeto”.
     
“Se hoje não há UTI para assistir adequadamente os pacientes do SUS, é preciso transferi-los para os hospitais particulares e o SUS que pague esses hospitais. Todos têm direito a atendimento, e isso está garantido em Constituição. Hoje, 90% da população do Estado, o correspondente a sete milhões de pessoas, dependem do SUS. E só há apenas 27 leitos de UTI coronariana para atender todo esse povo. Já os 10% que podem pagar um plano de saúde dispõem de 80 leitos de UTI coronariana”, comparou.
    
Da Assessoria de Imprensa do Cremepe.
Com Informações da Folha de Pernambuco.
JORNALISTA: DIOGO MENEZES.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings