Atualidades

Idosos reivindicam melhoria na saúde pública do Estado

No Dia Mundial da Saúde, realizado nesta quinta-feira (07/04), os idosos realizaram um ato no plenário da Assembléia Legislativa para protestar contra o descaso do sistema público com os maiores de 60 anos. Eles cobraram recursos para núcleo do Oswaldo Cruz
    
No Dia Mundial da Saúde, cerca de 300 idosos lotaram, ontem de manhã, o plenário da Assembléia Legislativa de Pernambuco para protestar contra o descaso da saúde pública com os cidadãos maiores de 60 anos. Com nariz de palhaço, eles acompanharam a audiência pública da Comissão de Defesa da Cidadania sobre seus direitos e pleitearam R$ 200 mil ao Ministério da Saúde para investimentos no grupo de apoio à saúde do idoso do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC). Duas manifestações programadas para a tarde, o abraço ao Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape) e uma passeata pelo Centro da cidade, não foram realizadas.

As maiores reclamações dos idosos foram a dificuldade de acesso a remédios para doenças como mal de Parkinson e mal de Alzheimer, as grandes filas nos hospitais e postos de saúde e o desrespeito ao Estatuto do Idoso. Segundo Marlene Batista, uma das representantes do Conselho Estadual do Idoso, os direitos de acesso livre a transporte, saúde pública, moradia e alimentação sadia não estão sendo garantidos a essa população no Estado. “Nós tínhamos esperança de que o estatuto mudasse esse quadro, mas até agora não vimos resultados”, criticou.
     
Os participantes cobraram, ainda, a criação de centros de capacitação para profissionais de saúde que tratam de pessoas com mais de 60 anos. Também foi sugerido um calendário de reuniões de uma caravana pela cidadania do idoso nos municípios do interior. No dia 1º de outubro, o Dia Internacional do Idoso, haverá nova audiência pública.
    
A dona de casa Célia Maria de França, 56, queixa-se da falta de remédios para hipertensão e até simples comprimidos como o AAS. Para o aposentado José Miguel Lopes da Silva, 80, os idosos ficam sempre esperando ações do poder público. “Precisamos do apoio da sociedade. Hoje, somos vistos como pessoas renegadas, mas já contribuímos muito para o progresso do país e exigimos respeito”.
    
Menos de dez pessoas compareceram ao Procape para o abraço organizado pela Associação de Defesa dos Usuários de Planos de Saúde (Aduseps). Não concretizaram o plano, mas a coordenadora da Aduseps, Renê Patriota, aproveitou para cobrar a abertura do pronto-socorro. “É um descaso dos governos federal e estadual com a população. A emergência cardiológica do HUOC sem condições de receber mais doentes e o Procape fechado.”
     
Irmã Lucimar Albuquerque, vice-diretora da unidade médica, disse que 90% das obras estão prontas. O que falta pode ser concluído até o fim deste ano, se for liberada verba. É preciso também que o governo do Estado realize concurso público para dotar o Procape de médicos, enfermeiros e outros profissionais. A exemplo do HUOC, o pronto-socorro é uma unidade da Universidade de Pernambuco (UPE).
    
Restaurante combate parasita transmitido por consumo de peixe cru
    
Donos de restaurantes e a Vigilância Sanitária do Recife (VSR) se movimentam para evitar que a contaminação pela verminose difilobotríase, transmitida pelo consumo de peixe cru e que já infectou 27 pessoas em São Paulo, chegue a Pernambuco. Os empresários se reúnem hoje à tarde, no restaurante Quina do Futuro, bairro do Espinheiro. A Vigilância pretende convocá-los na semana que vem para reforçar a orientação sobre o preparo e o armazenamento de peixe.

Os termos da nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), alertando consumidores para a presença do parasita em amostras de salmão, em São Paulo, serão repassados pela diretora de epidemiologia da Vigilância, Tereza Lira. A principal recomendação é congelar o peixe a 20° C negativos, por pelo menos sete dias, ou a 35° C negativos, por no mínimo 15 horas. “Vamos continuar orientando a população a evitar o consumo de peixe cru”, ressaltou. Ela pedirá à Secretaria de Produção Rural do Estado um levantamento da origem dos pescados fornecidos a Pernambuco.
    
O diretor da Associação Brasileira dos Bares e Restaurantes (Abrasel) e proprietário do Restaurante Quina do Futuro, André Saburó, quer manter o cliente bem informado sobre os riscos e cuidados. “A credibilidade é o mais importante. Os cuidados terão que ser redobrados e temos que estar prontos para tirar todas as dúvidas.”
    
A difilobotríase é uma verminose que ataca o sistema digestivo. Seus principais sintomas são dores abdominais, emagrecimento e anemia. O tratamento é realizado com uma droga chamada proziquantel.
    
Da Assessoria de Imprensa do Cremepe.
Com Informações do Jornal do Commercio.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings