Pediatria

Camaragibe vai habilitar internamento pediátrico

Município deve iniciar processo com abertura de 15 leitos
Iniciativa vai desafogar emergência pediátrica do HBL

Carolina Rodrigues

A Secretaria de Saúde de Camaragibe vai começar a habilitar o município no internamento para Pediatria. A solicitação para que o município abrisse leitos de Pediatria foi feita pela gerente da 1ª Gerência Regional de Saúde (Gere) da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Darcy Freitas durante uma reunião, ontem, com a secretária de Saúde da cidade, Nadegi Queiroz. A medida está sendo tomada depois da denúncia apresentada pela coordenadora geral da Associação de Defesa dos Usuários de Sistema, Seguros e Planos de Saúde (Aduseps), René Patriota. Ela constatou que cerca de 20% das crianças atendidas na Emergência Pediátrica do Hospital Barão de Lucena (HBL) são de Camaragibe, trazidas em ambulâncias sem nenhum tipo de assistência médica.

Essa demanda seria uma das prinicipais causas da sobrecarga neste setor da unidade.

Darcy Freitas solicitou que o município abrisse 30 leitos, já que a estrutura já existe na rede complementar, contratada pela Prefeitura para outros serviços. Para ficar proporcional à população, outros 30 leitos devem ser disponibilizados posteriormente. A secretária Nadegi Queiroz infomou, no entanto, que vai iniciar a abertura de 15 leitos. “Já vínhamos fazendo um estudo desde o final de abril com essa intenção. Conluímos que são necessários dez leitos para gerar 50 atendimentos. Depois aumentaremos de acordo com a necessidade”, explicou a secretária.

A secretária também se comprometeu a contratar mais um pediatra para cada um dos dois Centros de Especialidades Médicas (Cemec), serviços de pronto-atendimento do município, que atualmente contam com um pediatra. “Temos o maior interesse de fazer a demanda para o Recife diminuir o mais rápido possível e desafogar a rede pública estadual”, completou a secretária.

O município tem Gestão Plena da Saúde, o que significa receber verbas diretamente do Ministério da Saúde (MS) para serem aplicadas sem interferência do Estado. No entanto, a portaria do MS também prevê algumas obrigações para os municípios com autonomia na gestão dos recursos da saúde, como a de dispor de leitos de Pediatria.

Pediatria

Camaragibe vai habilitar internamento pediátrico

Município deve iniciar processo com abertura de 15 leitos
Iniciativa vai desafogar emergência pediátrica do HBL

Carolina Rodrigues

A Secretaria de Saúde de Camaragibe vai começar a habilitar o município no internamento para Pediatria. A solicitação para que o município abrisse leitos de Pediatria foi feita pela gerente da 1ª Gerência Regional de Saúde (Gere) da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Darcy Freitas durante uma reunião, ontem, com a secretária de Saúde da cidade, Nadegi Queiroz. A medida está sendo tomada depois da denúncia apresentada pela coordenadora geral da Associação de Defesa dos Usuários de Sistema, Seguros e Planos de Saúde (Aduseps), René Patriota. Ela constatou que cerca de 20% das crianças atendidas na Emergência Pediátrica do Hospital Barão de Lucena (HBL) são de Camaragibe, trazidas em ambulâncias sem nenhum tipo de assistência médica.

Essa demanda seria uma das prinicipais causas da sobrecarga neste setor da unidade.

Darcy Freitas solicitou que o município abrisse 30 leitos, já que a estrutura já existe na rede complementar, contratada pela Prefeitura para outros serviços. Para ficar proporcional à população, outros 30 leitos devem ser disponibilizados posteriormente. A secretária Nadegi Queiroz infomou, no entanto, que vai iniciar a abertura de 15 leitos. “Já vínhamos fazendo um estudo desde o final de abril com essa intenção. Conluímos que são necessários dez leitos para gerar 50 atendimentos. Depois aumentaremos de acordo com a necessidade”, explicou a secretária.

A secretária também se comprometeu a contratar mais um pediatra para cada um dos dois Centros de Especialidades Médicas (Cemec), serviços de pronto-atendimento do município, que atualmente contam com um pediatra. “Temos o maior interesse de fazer a demanda para o Recife diminuir o mais rápido possível e desafogar a rede pública estadual”, completou a secretária.

O município tem Gestão Plena da Saúde, o que significa receber verbas diretamente do Ministério da Saúde (MS) para serem aplicadas sem interferência do Estado. No entanto, a portaria do MS também prevê algumas obrigações para os municípios com autonomia na gestão dos recursos da saúde, como a de dispor de leitos de Pediatria.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings