ÉTICA SOCIAL

Debates marcam a Jornada do Cremepe

Na foto: Marcos Winter, Ricardo Paiva, Lama Padma Santem e Jaime Amorim.

O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) realizou no sábado (19.11) a sua I Jornada de Ética Social, no auditório da Associação Médica de Pernambuco (Amepe).

Durante todo o dia foram debatidos assuntos políticos, econômicos, religiosos e de direitos humanos e reforma agrária, todos ligados a ética e a sociedade. No turno da manhã a mesa foi coordenada pelo presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco André Longo. Os convidados foram a economista Tânia Bacellar, o cientista político Michel Zaidan e o coordenador geral da Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (SEAD), Manoel Aguiar.

Tânia Bacellar defendeu o combate a desigualdade através das políticas públicas do Estado e do investimento das empresas privadas com responsabilidade social. Para ela a sociedade civil deve lutar pelos seus direitos. Tânia também mostrou que Brasil sofre com a desigualdade devido a algumas heranças trazidas da escravidão e das restrições para políticas sociais.

Michel Zaidan deu início ao seu debate conceituando o que vem a ser Ética. ”Ética é a ciência da moral” – explicou. Zaidan também fez fortes críticas ao governo federal, que, segundo ele, não consegue sustentar uma política justa para os mais necessitados, por pura falta de organização.

Já Manuel Aguiar criticou a forma com que a sociedade trata dos deficientes. Ele citou o caso dos ônibus, onde só existem seis lugares disponíveis para deficientes na parte da frente. “E o sétimo que entrar no ônibus? Fica aonde?” – disse indignado. De acordo com Aguiar, essa também é uma forma de discriminação.

No intervalo foram exibidos os vídeos Violência e Estratégias de Paz, da Ação Comunitária Caranguejo Uçá, em parceria com o Centro Josué de Castro, mostrando a realidade das periferias do Recife e Menina Abusada, do grupo Roda Mundo, contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

A tarde os debates foram coordenados pelo presidente do Cremepe, Ricardo Paiva. Os convidados foram o Lama budista Padma Santem, que falou sobre ética social e transformação interior; o coordenador do Movimento dos Sem Terra (MST), Jaime Amorim, que falou sobre os camponeses e a perda das características camponesas. Para ele todos nós “devemos lutar para voltar reconstruir a nossa cultura”.

O presidente do Movimento Humanos Direitos (MHUD) e ator Marcos Winter, deu início ao seu ponto de vista sobre direitos humanos e ética social, de forma irônica perguntando se havia algum represente do estado assistindo à Jornada. Segundo Winter, os governantes (Pernambuco, Recife e Região Metropolitana), que foram convidados mas não compareceram, nem mandaram representação, deveriam ser mais participativos em discussões sociais e acompanhar de perto todas as dificuldades que passam as pessoas carentes.

O encerramento foi feito por Ricardo Paiva, que finalizou dizendo que o ser humano deve ser menos vaidoso e mais solidário.

Da Assessoria de Imprensa do Cremepe.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings