VIDA URBANA | Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

Hospital da Mulher ficará pronto no início de 2016

Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

Estrutura está com 75% das obras concluídas. A próxima etapa será a instalação dos equipamentos

O Hospital da Mulher do Recife, no Curado, começará a funcionar no início de 2016. A construção está prevista para terminar em dezembro. Após o término do prédio, a  próxima etapa é a instalação dos equipamentos. As obras foram vistoriadas ontem pelo prefeito Geraldo Julio.

A unidade, que já teve 75% das obras concluídas, contará atendimentos de urgência e emergência 24 horas, centro obstétrico, centro cirúrgico, UTI materna e neonatal, Clínica Ambulatorial, diagnóstico, apoio terapêutico, e assistência à mulher vítima de violência.

A capacidade será de 150 leitos de internação. O hospital, de 13 mil m2, está orçado em R$ 56, 8 milhões, dividios entre R$ 46, 8 milhões de verbas do governo federal e R$ 35 milhões do município.

“Essa é uma vistoria importante para podermos entregar o hospital logo às mulheres do Recife. São 138 trabalhadores, e nosso último repasse aconteceu em março’’, comentou o prefeito. Geraldo Julio ressaltou que no local serão realizados 250 cirurgias e 400 partos por mês.

No início do ano, o prefeito esteve em reunião no Ministério da Saúde, em Brasília, para reforçar a necessidade de liberação das verbas federais o quanto antes. “Quero fazer aqui no Recife algo diferente da realidade do país. Num ano como este também é importante manter e gerar empregos”, ressaltou.

“Exames como ecocardiograma e a tomografia computadoriza também serão realizados aqui. Os equipamentos já foram adquiridos, estamos apenas esperando a chegada deles ao local. Em setembro, quando determinados pavilhões estiverem prontos, eles poderão ser instalados’’, explicou o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.
O hospital vai atender a todas as mulheres, dando uma atenção especial à maternidade de alto risco. Também serão disponibilizados leitos de apoio, entre eles; seis leitos de pré-parto, seis salas de cirurgia, cinco leitos de recuperação anestésica e 20 leitos da casa da mãe, onde as mulheres com filhos internados na UTI poderão se instalar.

De acordo com o secretário, o objetivo é criar um espaço de assistência humanizada ao público feminino. “Para humanizar essa relação, haverá a possibilidade das mães poderem estar próximas a seus bebês mesmo quando eles estiverem na UTI”, disse.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.