COTIDIANO | Fonte: Folha de Pernambuco

Corpo de bebê deve passar por exumação

Fonte: Folha de Pernambuco

O delegado Humberto Pimentel vai solicitar nesta semana a exumação no corpo e uma bebê da cidade de Bezerros, que morreu na última quarta-feira, supostamente devido a um erro médico. A perícia vai verificar se existiu causalidade da morte com uma superdosagem de uma medicação para cólica (Busopan) receitada por um médico, que estava de plantão na unidade Mista São José no dia 13. O inquérito policial para apurar as responsabilidades criminais foi aberto na sexta-feira e, até agora, o delegado já ouviu a mãe da criança, Amanda Santos, de 22 anos, e pai, Wellison Félix, 24.

“Vou requerer ao IML esta exumação para materializar as informações fornecidas no testado de óbito emitido pelo hospital de Caruaru em que a menina morreu. No documento consta que houve uma intoxicação medicamentosa, mas precisamos de mais informações”, afirmou Pimentel. O atestado do hospital é legal já que a menina morreu internada na unidade. Segundo ele, como o corpo não foi periciado pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO) ou Insituto Médico legal (IML), é necessário agora esta perícia médica. O delegado não confirmou quando o exame no corpo da bebê será realizado. Os pais da menina reafirmaram no depoimento de ontem que a criança ficou arroxeada e mole depois de terem administrado a primeira dose 10 ml de Buscopan prescrita pelo médico. O delegado tem 30 dias para concluir o inquérito. Nos próximos dias serão ouvidos os profissionais de saúde que estavam de plantão na unidade mista de Bezerros quando a menina foi atendida.

Além da investigação policial, o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) também está apurando o caso. A instituição abriu, ontem, uma sindicância ex-ofício para identificar se houve erro médico. “O processo vai para a corregedoria do conselho que irá indicar um conselheiro. Ele terá 60 dias, prorrogáveis por mais 60 pra a apresentação de um relatório à Câmara de Sindicância que votará ou não pela abertura do processo ético profissional”, explicou o vice presidente do Cremepe, André Dubeux. A Secretaria de Saúde de Bezerros está acompanhando as apurações do Cremepe e da polícia, mas afirmou que não pode tomar qualquer medida administrativa, já que o médico não é do quadro efetivo de funcionários da prefeitura.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings