ECONOMIA | Fonte: JORNAL DO COMMERCIO

Remédio ficará mais caro

Fonte: JORNAL DO COMMERCIO

Os medicamentos vão ficar mais caros em todo o País a partir do próximo dia 31. Segundo a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), o aumento anual nos preços deve ser de até 12,5%. Se confirmado, o reajuste vai superar a inflação (de 10,67%, em 2015) pela primeira vez em dez anos.

A base de cálculo para o reajuste de medicamentos é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que acumula alta de 10,36% em 12 meses até fevereiro.

O governo, no entanto, ainda não divulgou oficialmente de quanto será o aumento, pois o processo está em consulta pública. Para quem depende de medicamentos de uso contínuo, ou mesmo para consumidores pontuais, a orientação é buscar maneiras de economizar, principalmente quando se trata de remédios de alto custo.

Algumas dicas ajudam a gastar menos. Exemplos: programa de fidelização de laboratórios incentivam a adesão a tratamentos que envolvem medicamentos de uso contínuo. Grandes laboratórios desenvolveram planos de fidelidade que oferecem descontos em farmácias conveniadas. No caso da Bayer, contraceptivos orais podem custar de 20% a 46% menos para pacientes que se cadastrarem no site informando o nome, CPF, endereço e dados da receita médica. Sob as mesmas condições, comprar medicamentos para hipertensão, colesterol ou sintomas ligados à depressão pode custar até 65% menos.

Outra dica é são os sites que funcionam como verdadeiros catálogos de consulta de preços de medicamentos. Em portais como o Clique Farma (www.cliquefarma.com.br) há indicações de farmácias onde o consumidor pode encontrar o preço mais em conta, ou mesmo sugestões de marcas similares. Já no Mais Preço (www.maispreco com) é possível buscar pela substância ou princípio ativo e saber onde encontrá-los.

Tags :
Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings