ENSINO | Fonte: Assessoria de Comunicação do Simepe

Simepe, Cremepe e estudantes realizam passeata em defesa da UPE e do hospital Dom Moura/Garanhuns

Fonte: Assessoria de Comunicação do Simepe

garaCom os grito de guerra “Fameg ninguém quer, fortalecer a UPE” mais de 200 estudantes de medicina da Universidade de Pernambuco (UPE) de Garanhuns, com apoio de representantes do Simepe, Cremepe e da deputada Priscila Krause realizaram passeata pelo fortalecimento da Universidade e pela reestruturação do Hospital Dom Moura, entre outras bandeiras de luta.  Os manifestantes saíram pelas ruas da ‘suíça pernambucana”, no começo da tarde, depois de informes e deliberações aprovadas em AGE que, aconteceu no auditório da UPE. Corações e mentes mobilizadas.

Nas vias públicas, eles despertaram a atenção e, ao mesmo tempo, receberam aplausos e incentivos para que a luta em defesa do curso de medicina e do hospital deve avançar. “Vamos dizer de novo, o Dom Moura é do povo” foi a resposta positiva dos estudantes ao apoio popular. Cartazes, faixas e megafones serviram como suporte às reivindicações alusivas ao movimento durante a passeata. A passeata seguiu seu caminho com muita disposição pelo bairro de Heliópolis, passou em frente ao Parque Euclides Dourado, ou apenas Parque dos Eucaliptos é o maior parque da cidade, é lá que ficam a melhor pista de cooper da cidade, várias quadras de esportes, pista de skate, parque infantil, academia da cidade, a biblioteca pública. Cartão postal de Garanhuns e na Rua Joaquim Távora, em frente da V Geres – Gerência Regional de Saúde, parou e marcou posição em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).  Na Avenida Simoa Gomes, onde fica o Hospital Dom Moura, a manifestação foi mais intensa. Motoristas, pedestres, familiares de pacientes e vendedores ambulantes reagiram à passeata, com aplausos e sinal positivo do polegar.   

Na opinião do presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, o movimento foi positivo e necessário, para garantir investimentos dos serviços da saúde pública e da UPE, como também  valorizar os professores e melhorias no campo de prática. “ Reafirmamos nosso compromisso de lutar contra a abertura de  novas escolas de medicina, de buscar melhorias para o Hospital Dom Moura junto aos gestores públicos e de apoiar os estudantes e professores de medicina da UPE”, acentuou.

O estudante do 4º período de medicina, Antônio Augusto, salientou que a união e participação das entidades médicas (Simepe e Cremepe) têm sido fundamentais para que aos objetivos sejam alcançados. A estudante Ingrid Louise, compartilha da opinião que é preciso da ampliar a visibilidade ao movimento, mostrando as necessidades  existentes na UPE, como também as carências do Dom Moura.

Entre as propostas aprovadas na AGE constam a não abertura de nova faculdade de medicina em Garanhuns; concursos públicos para médicos da Secretaria Estadual de Saúde (SES) bem como para médicos e professores da UPE; gestão compartilhada entre as secretarias de Ciência e Tecnologia, de Saúde e a Universidade; contratação emergencial de profissionais nas especialidades em déficit (até a realização do concurso); equiparação salarial dos professores que atuam no campo de prática nos moldes da carreira de Estado; fiscalização, através do Cremepe, nas unidades básicas de rede municipal de saúde; instituir o  Dom Moura como hospital-escola, dentre outras.

Ficou agendada para próximo o dia 06 de julho uma reunião entre entidades médicas, estudantes, professores e gestores da UPE, com representantes das secretarias estaduais de Saúde e de Ciência e Tecnologia, além da deputada estadual Priscila Krause. O local ainda não foi definido.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings