PARÁ | Fonte: Assessoria de Comunicação do Cremepe

Cremepe e APMR participam do II Fórum do Médico jovem

WhatsApp Image 2017-08-23 at 14.21.33

O presidente do Cremepe, André Dubeux, o conselheiro Carlos Tadeu e representantes da Associação de Médicos Residentes de Pernambuco (APMR) participam do II Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem que começou nesta terça-feira (22), em Belém (PA). O evento organizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), com o apoio do Conselho Regional de Medicina do Estado (CRM-PA), reúne representantes de diversas entidades nacionais e locais, como a Associação Médica Brasileira (AMB), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a Associação Brasileira de Educação Médica (Abem) e a Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR). A atividade se encerra na quarta-feira (23) e contará com transmissão ao vivo.

A meta é estimular um debate conjunto ao redor de temas de interesse para a formação dos futuros profissionais e a inserção no mercado de trabalho daqueles que estão recém-formados ou que têm até 10 anos de atuação. Além, na programação estão previstas apresentações sobre ética médica e terminalidade da vida; o papel das entidades médicas na prática profissional; relação médico-paciente; administração da carreira; ensino médico (graduação e residência); distribuição e fixação de médicos; e tecnologia da informação.

Entre os palestrantes estão perspectivas de diferentes segmentos como docentes, gestores, advogados, médicos, residentes e estudantes. Participam, ainda, do II Fórum representantes do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e Confederação Médica Latino-Americana e do Caribe (Confemel). O objetivo central do evento é que essas discussões sejam enriquecidas pelas experiências e perspectivas dos jovens médicos, alguns deles representantes de entidades como a Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina (Denem) e Associação dos Estudantes de Medicina do Brasil (AEMED-BR).

“Em torno de 40% dos médicos brasileiros têm até 39 anos de idade. É fundamental nos aproximarmos desses médicos, pois eles enfrentam vários problemas que os conselhos combatem e denunciam às autoridades e à população – e que muitas vezes incidem de maneira contundente sobre esse segmento etário, tradicionalmente exposto a múltiplos vínculos de trabalho e a jornadas extensas, por exemplo. Esse evento é uma oportunidade de discutirmos questões específicas e elaborarmos propostas para encaminharmos aos tomadores de decisão”, enfatiza o diretor do CFM e coordenador da Comissão de Integração do Médico Jovem, José Hiran da Silva Gallo.

*Com informações do CFM

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings