VISTORIA | Fonte: Assessoria de Comunicação do Cremepe

Cremepe fiscaliza USF Berilo Pernambucano (Coque)

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cremepe

A equipe de fiscalização do Cremepe inicia nesta segunda-feira (22/01) uma série de vistorias nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) das Zonas Especiais de Interesse Social do Recife. As fiscalizações começaram após os médicos da prefeitura do Recife declararem greve geral. A primeira unidade fiscalizada foi a USF Berilo Pernambucano (coque), onde são feitos de 30 a 40 atendimentos por dia, por cada médico, das quatro equipes. No total, são atendidas de 2 a 3 mil pessoas, sem áreas descobertas.

A UBS Berilo Pernambucano (Coque) faz parte do distrito 1 e tem 4 equipes de Saúde da Família que estão completas com 4 médicos, 4 enfermeiros, 2 dentistas e 33 agentes comunitários. Também conta com Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) do distrito com assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional, porém não tem nutricionista e nem educador físico. A unidade conta com um guarda municipal 24 horas por dia.

O problema do serviço é a estrutura física. Não há uma sala de pré atendimento/triagem e nem de nebulização, muitas vezes o primeiro atendimento é feito na sala de curativo (única sala para sujos e limpos). É perceptível que a sala de curativo é improvisada uma vez que não conta com espaço físico adequado, há infiltrações e mofo. Ao lado dos curativos fica o expurgo que ao invés de ser “Ambiente destinado à limpeza, desinfecção e guarda dos materiais e roupas utilizadas na assistência ao paciente e também poderá ser utilizado para a guarda temporária de resíduos”, de acordo com a Anvisa, se tornou um Depósito de Material de Limpeza (DML). Também não existe uma sala para reuniões e quando chove a unidade apresenta goteiras porque o teto não é revestido.

O Expurgo serve de DML

Fachada da Unidade

Farmácia

Entrada da sala dos Agentes Comunitários de Saúde

Sala de curativo que serve para o pré atendimento e não há separação de sujo e limpo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Também foram identificados infiltrações e mofo em vários ambientes, portas e janelas quebradas, bem como maçanetas. Ambiente climatizado apenas nos consultórios, farmácia e sala de vacina. Não foi identificada a falta de insumos e a medicação chegou no dia da vistoria, mesmo assim, alguns pacientes reclamam da demora para encaminhar ao especialista. As especialidades mais procuradas são ginecologia – a demora é de 6 meses para marcação, e ortopedia.

Para o 2º secretário do Cremepe, Sílvio Rodrigues, a questão estrutural está muito comprometida e outro ponto que vale destacar é a ausência de um diretor técnico que infringe a Resolução CFM Nº 2147. Toda a vistoria foi realizada seguindo o Manual de Fiscalização do Conselho Federal e será encaminhada ao gestor para adequação e a unidade notificada.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings