SOCIEDADE | Fonte: O Globo

Estudo descarta risco cardíaco de ‘pílula do emagrecimento’

Fonte: O Globo

Estudo com 12 mil pacientes espalhados por oito países descartou o risco de o supressor de apetite lorcaserina – considerado o “cálice sagrado” no combate à obesidade – provocar danos ao coração.

A droga, conhecida pelo nome comercial Belviq, já foi aprovada em alguns países, incluindo os EUA e o Brasil, mas não na União Europeia, onde a agência de medicamentos expressou preocupação quanto ao risco do surgimento de tumores, desordens psiquiátricas e problemas nas válvulas cardíacas.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a fabricação, importação, comercialização, manipulação e uso da lorcaserina em novembro de 2013. Mas, três anos depois, em dezembro de 2016, a agência aprovou o Belviq e, em janeiro de 2017, revogou a suspensão.

Nos EUA, a Administração para Alimentos e Drogas (FDA) aprovou a medicação em junho de 2012 para adultos obesos com índice de massa corporal (IMC) superior a 30 ou para pacientes com sobrepeso (IMC acima de 27) e ao menos uma doença relacionada ao excesso de peso, como hipertensão, diabetes tipo 2 ou colesterol alto.

O novo estudo foi elaborado por recomendação da agência americana para examinar a segurança e eficácia da medicação. Nele, foram recrutados 12 mil pacientes de 473 centros de saúde de oito países entre janeiro de 2014 e novembro de 2015. Eles foram divididos em dois grupos.

Num, os pacientes receberam o Belviq duas vezes ao dia; no outro, placebo. Todos foram orientados a praticar exercícios e adotar uma dieta saudável.

Os resultados mostraram que os pacientes que tomaram a lorcaserina perderam, em média, 4,2 kg no primeiro ano, contra perda média de 1,4 kg do grupo que tomou placebo. Emu mano ,33% dos participantes coma droga perderam ao menos 5% da massa corporal, contra 17% do grupo com placebo; e 15% dos medicados perderam ao menos 10% do peso, contra apenas 5% dos que ficaram sema medicação.

– Demonstramos que essa droga para perder peso cumpre oque propõe: ajudara emagrecer sem elevar os eventos cardiovasculares numa população de alto ris copara ataques cardíacos e derrames-disse ErinBo hula, uma das autoras do estudo. – Achávamos que a perda de peso levaria a um benefício cardiovascular, mas não vimos isso. Apesar das melhorias em múltiplos fatores de risco, o impacto disso foi pequeno.

Tags :
Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings