VIDA URBANA | Fonte: Diario de Pernambuco

Estado registra primeira morte por meningite

Fonte: Diario de Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde investiga a primeira morte do ano por suspeita de Doença Meningocócica (DM). Trata-se de uma infecção bacteriana aguda grave que pode levar à meningite e a uma infecção generalizada (meningococcemia). O óbito foi de um homem na faixa dos 40 anos, no dia 6 de janeiro, no Hospital Correia Picanço, Recife. Ele era morador da Zona Rural de Gravatá, Agreste do estado. Na mesma região, em Caruaru, uma outra paciente foi registrada com suspeita da enfermidade. A mulher, também na faixa dos 40 anos, teve início dos sintomas no dia 4 de janeiro e está internada no Correia Picanço, com quadro estável.

Em 2018, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) notificou 42 casos de doença meningocócica, um aumento de 44% em relação a 2017, com 29 notificações. Em relação aos confirmados, foram 28 em 2018 e 17 em 2017. Já em relação aos óbitos, foram quatro em 2018 e dois em 2017. No primeiro informe epidemiológico de 2019, com dados até o dia 5 de janeiro, há duas notificações de doença meningocócica. No mesmo período de 2018 não foram feitas notificações.

De acordo com o diretor-geral de Controle de Doenças Transmissíveis da SES, George Dimech, apesar do aumento das notificações e confirmações em 2018, não há motivos para apreensão, já que foram registrados casos isolados, sem relação de localidade e período de ocorrência. “A doença meningocócica pode ocorrer durante qualquer período do ano. O papel do profissional de saúde é detectar precocemente um caso suspeito para que as ações de assistência ao paciente sejam tomadas. Além disso, há medidas profiláticas que devem ser adotadas para as pessoas que tiveram contato mais próximo com o caso suspeito, prevenindo, assim, possíveis surtos. Analisando os dados, vemos que esse trabalho de vigilância vem sendo executado pelos municípios, com o apoio do estado, e resultado no controle de possíveis surtos”, afirma.

Segundo o infectologista do Hospital Oswaldo Cruz, Diego Guedes, os índices de mortalidade da doença são consideráveis: cerca de 40%. Então, é muito importante procurar auxílio médio ao sinal dos seguintes sintomas: fortes dores de cabeça; dores nas articulações; febre alta acima de 38º; rigidez na nuca, com dificuldade para dobrar o pescoço; náuseas e vômitos; cansaço excessivo e sonolência; intolerância a luz e ruídos, além de manchas roxas na pele. Em casos mais graves, pode acontecer necrose das extremidades. É geralmente, em situações de extremos de idade. Em bebês, é importante ficar atento também à agitação, irritação e moleira abaulada”, conta. A principal forma de prevenção é vacina. O contágio é pela respiração e o tempo de incubação da doença é de 2 a 10 dias. A doença ocorre quando a bactéria Neisseria Meningitidis chega ao cérebro pela corrente sanguínea e infecciona meninges, membranas que cobrem o cérebro.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings