CasaSaudável | Fonte: JORNAL DO COMMERCIO

Um tempo só para você

Com uma rotina cada vez mais acelerada, somada a demandas profissionais acumuladas e concluídas no automático, precisamos fazer um caminho contrário: tirar o pé do acelerador para frear algo que tem rondado mais e mais brasileiros. Estamos falando da síndrome de Burnout, que acomete três em cada dez pessoas no País com sintomas de estresse. Definido como o esgotamento físico e mental associado ao trabalho, o transtorno cobra um preço alto dos profissionais, dos empregadores e da sociedade. “Não estamos nos referindo a excesso de tarefas nem à fragilidade das pessoas, mas a condições de trabalho”, destaca o psicólogo Alexandre Coimbra Amaral, terapeuta de família, que visitou o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação na sexta-feira (12), dia de abertura do Simpósio Internacional de Assistência ao Parto, que termina hoje no Centro de Convenções de Pernambuco. Ao conversar sobre Burnout entre profissionais envolvidos com a humanização do nascimento (tema de palestra do evento), Alexandre reforça que a síndrome é mais frequente entre as profissões de cuidado a populações humanas, já que a tarefa de cuidar impõe condições que excedem limites de nossas habilidades e capacidades. É uma missão que não se limita a trabalhadores da Saúde. “Policiais civis e militares, bombeiros, profissionais de creches e escolas, operadores do direito e sacerdotes também têm risco de adoecimento.” Para prevenir a síndrome, Alexandre sugere que devemos percorrer um caminho capaz de nutrir o corpo e a mente com doses de bem-estar. “Devemos construir uma fronteira entre o trabalho e o autocuidado, deixando sempre espaços livres na nossa agenda, além de formar redes de amigos que possam nos levar a momentos que nada lembrem o trabalho.” O depoimento dele faz sentido: o repouso é sagrado e faz percebermos que a vida é mais cheia de soluções do que de problemas.

Apoio essencial

A palestra ministrada ontem, pelo psicólogo Alexandre Coimbra Amaral, no Simpósio Internacional de Assistência ao Parto, traz um chamado que, no mínimo, inquieta: Quando não aguentamos mais. Quantas vezes passamos por situações que levam a essa sensação? É importante frisar que os efeitos físicos e mentais decorrentes da exaustão têm tratamento. Vale procurar apoio de profissionais da saúde mental, como psicólogo e psiquiatra.

Para cuidadores

A Clínica Busca Vida promove capacitação sobre a importância da música, artes e jogos para estimular o desenvolvimento cognitivo e funcional dos idosos. A aula, destinada a quem deseja se aperfeiçoar no cuidado com os idosos, será ministrada pela musicoterapeuta Ziuna Cirnê e pela arte-recreadora Cláudia Silveira. O módulo acontece nesta quarta-feira (17), das 19h às 22h, na Associação Médica de Pernambuco, na Boa Vista, Centro do Recife. Investimento: R$ 30. Informações: 3097-3087.

Lindas lições de Carol Levy sobre aceitação e respeito

Neste mês de conscientização sobre autismo, a cantora e contadora Carol Levy lança uma história linda para ensinar as crianças a terem empatia com amigos que têm algum grau de autismo – transtorno do desenvolvimento caracterizado por comprometimento das habilidades de comunicação e interação social. “Se há uma criança atípica na sala do seu filho, o que a escola e os pais têm feito, enquanto grupo, para aproveitar essa rica oportunidade de ensinar sobre o coletivo, o respeito e as diferenças?”, questiona Carol Levy, que disponibiliza a contação de história no seu canal no YouTube: bit.ly/2Uvp6vG. Hoje, inclusive, Carol lança DVD com clipes em que ela aproveita o universo lúdico de suas canções para transmitir mensagens sobre amor, aceitação e respeito. O evento é gratuito, das 15h às 18h, no espaço No Quintal como Antigamente, no Poço da Panela, Zona Norte do Recife. A entrega de pulseiras acontece horas antes: das 9h às 11h. A entrada é sujeita à lotação do espaço, com capacidade para 100 pessoas. DVD à venda, no local, por R$ 35. Mais informações: dvd.carollevy.com.br.

Em família

A psicanalista Maria do Carmo Camarotti promove uma manhã de brincadeiras, no dia 27, para pais e crianças com transtorno do espectro autista, déficit de atenção e hiperatividade, síndrome de Down e outras condições que possam comprometer o desenvolvimento. O encontro, na Livraria Jaqueira, Zona Norte do Recife, começa às 10h. Inscrição: R$ 35 (criança com acompanhante). Informações: 99965-5691 (WhatsApp).

Fisio e depressão

Depressão e terapia manual: podemos fazer alguma coisa? Esse é um dos questionamento que faz parte da programação 2º Congresso de Terapia Manual e Posturologia, de 3 a 5 de maio, no Mar Hotel, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. O tema será debatido, na terça (16), às 14h, durante o programa Casa Saudável, da TV JC. Serão entrevistados os fisioterapeutas Eduardo Vieira e Paulo Veiga, além do psiquiatra Amaury Cantilino. O programa é transmitido pelas páginas do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação no Facebook e pelo site tvjc.com.br.
Livro da SES

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) reuniu mais de 30 relatos no livro Experiências em educação permanente em saúde no Estado de Pernambuco: formação que se constrói em rede. O material, que está disponível online e gratuitamente, traz práticas realizadas em diversos municípios pernambucanos. Entre os temas abordados, estão saúde mental, atenção primária, vigilância epidemiológica, atendimento pré-hospitalar (Samu) e integração entre ensino e serviços de saúde. O livro, com mais de 400 páginas, pode ser baixado no link bit.ly/2G5mydW.

Vale o cuidado

Neste ano, em Pernambuco, dos 671 casos de Srag (sigla para síndrome respiratória aguda grave, que congrega casos graves de gripe e outras doenças respiratórias), registrados até 16 de março, 594 (88,5%) foram em crianças menores de 6 anos. E todos os sete casos confirmados de influenza B foram em menores de 5 anos. Os dados reforçam a importância da vacinação contra gripe na faixa etária infantil, que mais tem risco de complicações pela doença. A campanha de imunização, que vai até 31 de maio, prioriza crianças de 6 meses a 5 anos, como também gestantes, até esta quarta (17).
“A síndrome de Burnout é caracterizada pelo desgaste do profissional que trabalha com o que ama. Da raiva que passa a ter das tarefas, ele se desconhece diante do que mais adora fazer. É um sinal de alerta”, diz o psicólogo Alexandre Coimbra Amaral, orientando sobre um comportamento que faz fronteira com o transtorno.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings