VIDA URBANA | Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

Ação gratuita de saúde e cidadania no Recife

Bairro do Recife recebeu vários serviços nas áreas de psicologia, enfermagem e serviço social, entre outras
Os dias de domingo no Bairro do Recife já são, costumeiramente, bastante movimentados. Ontem, em especial, o local recebeu ainda mais visitantes em uma série de atividades e serviços oferecidos pelo Fórum dos Conselhos Profissionais de Saúde de Pernambuco (FCPS-PE), realizados em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, 7 de abril. Na Avenida Rio Branco, durante os períodos de manhã e tarde, profissionais de diversos segmentos ofereceram serviços nas áreas de psicologia, biologia, enfermagem, nutrição, fisioterapia, biomedicina e serviço social em sete estandes perfazendo um total de 120 voluntários.

Segundo o nutricionista Hilário Damázio, presidente do Conselho Nutricionista da 6ª região e presidente do Fórum, o objetivo era atender a um público estimado de duas mil pessoas. “Em cada estande, atuou-se em sua particularidade enquanto profissional a serviço da sociedade. Esta é nossa primeira ação, mas pretendemos que ela seja continuada, principalmente nas datas que marcam a saúde nacionalmente”, afirmou.

No estande de psicologia, a proposta era promover uma roda de diálogo sobre “despatologizar” a vida. Segundo o presidente do Conselho Regional de Psicologia, Hermes de Azevedo, uma pauta que tem a proposta de considerar cada ser humano em sua singularidade. “A sociedade foi se tornando complexa e determinadas áreas começaram a categorizar pessoas e segregá-las da sociedade, acusando-as de loucas ou autistas, por exemplo. O objetivo aqui é, então, fazer com que cada um sente, participe, conte um pouco da sua experiência de vida e entenda este conceito”, explica.

Na área de biologia, o objetivo foi falar sobre o controle de pragas urbanas. De acordo com Fábio Veiga, diretor de marketing da Associação Pernambucana dos Controladores de Pragas (Aspec), a finalidade era conscientizar a população sobre a importância da contratação de empresas legalizadas de dedetização, que usem produtos adequados, com a chancela do Ministério da Saúde. “Às vezes, as pessoas compram produtos agrícolas que também matam as pragas, diria até que com mais eficiência, mas isso justamente porque eles são mais fortes. Então, não poderiam ser aplicados nestes ambientes”, explica. O espaço tinha também uma casa de cupins e a simulação de locais onde é possível encontrar escorpiões. Neste segundo caso, os biólogos explicavam às pessoas que é importante evitar o acúmulo de material em desuso, especialmente utilizados na construção civil, como madeira e tijolos, além de prevenir o aparecimento do seu principal alimento, as baratas. “Para isto, é importante ter cuidados com higienização, boa vedação de acessos delas à residência e bom acondicionamento do lixo”. No caso de picadas de escorpião (para as crianças pode ser fatal), a orientação é levar a vítima ao Centro de Atendimento Toxicológico (Ceatox), no Hospital da Restauração.

AVALIAÇÃO

Adultos e crianças também puderam visitar os estandes de fonoaudiologia onde dez pessoas, boa parte delas estudantes da Faculdade São Miguel, realizava testes de triagem de voz e apresentava, aos pequenos, um jogo onde podiam analisar o desenvolvimento da linguagem deles.

Além de serviços de enfermagem como aferição da pressão e da glicemia, o estande de biomedicina também oferecia massoterapia e acupuntura auricular. De acordo com o biomédico Sérgio Dourado, o serviço é indicado para qualquer dor, seja de cabeça, nervo ciático ou lombar, além de enjoo. “Damos o diagnóstico energético e agimos para aliviar o desconforto. Há contraindicação apenas para gestantes até o terceiro mês de gestação, mas depois disso a acupuntura ajuda na retenção do líquido e desenvolvimento fetal, além de auxiliar no desenvolvimento de crianças mais fortes e com menos alergias”, pontua.

A saúde da comunidade negra também esteve em pauta no estande do Conselho Regional de Serviço Social do Estado. Em roda de diálogo, foram debatidos temas como cortes relacionados a políticas públicas, racismo institucional e religioso. “Claro que estas reduções de políticas afetam a todos, mas a população negra é que mais sofre, com isso por ter mais dificuldade, geralmente, aos serviços públicos”, argumenta Vanessa Pontes, representante da entidade.

FÓRUM

Fórum dos Conselhos Profissionais de Saúde de Pernambuco (FCPS-PE) é formado pelos Conselhos Profissionais de Saúde do Estado de Pernambuco. Tem como premissa básica a congregação das modalidades profissionais e a defesa da sociedade, com fomento de espaços de discussão de temas relevantes para a área de saúde, além de luta por políticas públicas nas esferas municipais, estadual e federal.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings