VidaFit | Fonte: JORNAL DO COMMERCIO

Os benefícios do chocolate na Páscoa

Uma enorme variedade de chocolates invade as lojas durante o período de Páscoa, tornando-se objeto de consumo da criançada e de muitos adultos. No entanto, embora os benefícios do alimento contra as doenças cardiovasculares sejam comprovados, é importante ressaltar que o consumo deve ser em pequenas quantidades. Isso porque o chocolate contém gordura saturada e açúcar que, em excesso, podem trazer efeitos nocivos à saúde, além do ganho de peso.

Quanto mais cacau, maior a concentração de antioxidantes e estimulantes. O mais recomendado é o chocolate amargo, com 70% ou mais de cacau. O tipo meio amargo, entre 40% e 60% de cacau, deve ser uma opção secundária, pois contém mais açúcar.

A versão ao leite é bem mais calórica, pois leva mais leite e açúcar do que cacau. Já o chocolate branco, se possível, deve ser evitado, pois é composto por manteiga de cacau, açúcar, leite e gordura saturada, que em quantidades elevadas podem prejudicar a saúde. “Além das conhecidas propriedades cardioprotetoras, o chocolate também auxilia na produção de serotonina, hormônio que provoca sensação de bem-estar e está associado à regulação do sono, apetite e humor”, observou a nutricionista Maria Fernanda Vischi D’Ottavio, do Clinic Check-up HCor.

As 4 leis

Levando em consideração que um cardápio saudável deve atender as exigências bioquímicas do organismo, existem quatro leis da alimentação que ajudam a desenvolver bons hábitos. São elas: qualidade, quantidade, harmonia e adequação. Com boas referências, é possível elaborar refeições saudáveis, com equilíbrio de proteínas, carboidratos, lipídios, sais minerais e vitaminas. Também é fundamental respeitar aspectos fisiológicos, culturais, sociais e econômicos.

Trabalhador

Com o objetivo de promover hábitos saudáveis através da atividade física, a quinta edição da Corrida Sesi Dia do Trabalhador promete movimentar o feriado de 1º de maio. O evento aguarda a presença de aproximadamente 1.200 atletas profissionais e amadores e vai distribuir R$ 14 mil em prêmios. A largada será no Cais da Alfândega, às 7h, para os percursos de 5km e 10km. As inscrições podem ser feitas no site www.pe.sesi.gov.br e o valores variam entre R$ 70,00 e R$ 20,00.

Pedal à noite

Quem não abre mão de pedalar durante a noite precisar ficar atento a, pelo menos, cinco itens de segurança. Os sinalizadores traseiros são os primeiros da lista. São, inclusive, considerados obrigatórios pelo Código Brasileiro de Trânsito (CBT). O farol fundamental também é essencial, pois ilumina o caminho à frente do ciclista. Importante também fazer uso de trajes refletivos, buzina e óculos com lentes amarelas, ideais para situações com pouca luminosidade.

Contra Alzheimer e Parkinson

Além da autoestima, atividades físicas fortalecem o organismo e ajudam a prevenir doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e o Parkinson. De acordo com um estudo realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), durante a atividade, os músculos liberam o hormônio irisina, que ajuda na criação de memórias, preservação das lembranças e comunicação entre os neurônios. Beneficia principalmente contra o Alzheimer, doença que afeta diretamente o cérebro e não tem cura.

Os benefícios do ômega-3

O ômega-3 é um ácido graxo poli-insaturado que atua na modulação do processo inflamatório de diversas doenças, desde as cutâneas até os casos mais graves, como o câncer. Uma dieta rica em ômega-3 pode auxiliar na prevenção dessas enfermidades e na redução do estresse oxidativo.

Mexa-se mais

Boa parte das pessoas gasta, em média, 10 horas sentadas, trabalhando. Ficar longos períodos sentado reduz o fluxo de sangue e oxigênio, causa ganho de peso e leva as doenças cardíacas e diabetes tipo 2. Estudos mostram que isso é tão ruim ou pior do que fumar e realmente reduz a expectativa de vida. Fazer caminhadas e alongamentos durante o expediente evita esse mal.

Barriga

Muita gente aposta nos abdominais para acabar com a barriga saliente. A grande questão é que o corpo não é capaz de determinar estímulos localizados para a eliminação de gordura. Por isso, apesar de trabalhar a musculatura da região, os abdominais não garantem a queima da gordura, que é eliminada do corpo como um todo.

Estudo contradiz 80% por 20%

Estudo recente, publicado na última edição da revista Obesity, contradiz a máxima que credita 80% do emagrecimento à dieta e 20% aos exercícios. Após acompanhar voluntários por um ano, os pesquisadores da Universidade do Colorado constataram que eles deviam o sucesso aos níveis mais altos de treinamento e não à alimentação.

“A inclusão de exercícios físicos para portadores de doenças articulares, como osteoartrite e osteoartrose, têm relação direta no tratamento da dor e limitação funcional. Os mais indicados são os que promovem fortalecimento e mobilidade, como musculação e exercícios aeróbios”, Ivan Xavier, personal trainer

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings