HOMENAGEM | Fonte: UFPE

Éfrem Maranhão se comove ao receber homenagens na UFPE

Fonte: UFPE

O ex-professor e ex-reitor Éfrem Maranhão já pode acrescentar ao rol de suas tantas credenciais e honrarias o título de Professor Emérito da UFPE, homenagem que recebeu hoje (6) das mãos do reitor Anísio Brasileiro, em solenidade que reuniu amigos e ex-colaboradores, no Auditório Jorge Lobo, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade. Tendo a apresentação do seu histórico acadêmico e de gestor na Universidade feita em discurso panegírico proferido pela também Professora Emérita da UFPE Esther Azoubel, Éfrem foi destacado por “seu amor ao ensino e dedicação aos alunos e demais docentes”. Na cerimônia, Éfrem também recebeu a Medalha Marquês de Olinda do Mérito Universitário.

A colega do homenageado o apresentou como responsável por um legado de grandes realizações que promoveu na Universidade, seja como professor, médico ou dirigente de setores e da própria instituição. Para citar algumas, foram lembradas a Concha Acústica, a implantação e reformas de bibliotecas setoriais e a quadra poliesportiva do Núcleo de Educação Física e Desportos (NEFD), entre outras. “Sempre com um estilo dinâmico, Éfrem enfrentava dificuldades com liderança e pregava aos seus colaboradores que não falassem em falta de verbas, nem se lamentassem”, afirma. Também foram registrados o otimismo e a confiança no trabalho dos colaboradores, assim como o empenho em articular a atuação da UFPE com outros órgãos públicos e entidades privadas e internacionais.

Para o reitor Anísio Brasileiro, “é com muita alegria que a Universidade reconhece aqueles que dedicaram sua energia para a educação, o ensino e o saber”. E, com esse elogio ao homenageado, Anísio também citou o servidor Crispim Cipriano, que se encontrava no auditório e que está a serviço do gabinete dos reitores desde a gestão de Éfrem até os dias atuais. “Ele, que é o primeiro a entrar e o último a deixar nosso gabinete, sempre com muita dedicação, representa a continuidade das gestões da UFPE”, acrescentou.

EMOÇÃO – Sem conseguir esconder a emoção, Éfrem Maranhão fez os agradecimentos iniciais lembrando as amizades que fez ao longo dos mais de 23 anos em que esteve a serviço da UFPE. E, especificamente quanto à Medalha Marquês de Olinda do Mérito Universitário, à qual foi indicado a receber ainda em 2002, afirmou que se sente honrado por ser merecedor juntamente com a ex-pró-reitora Maria Antônia Mac Dowell, já falecida, e o empresário João Carlos Paes Mendonça. Ainda em plena atividade do magistério – o ex-reitor atua como professor convidado na Universidade do Porto, em Portugal -, Éfrem não fugiu do momento delicado por que passa a educação brasileira e afirmou: “Só vamos sair desse estado de coisas investindo em educação com rigorosos padrões de qualidade”.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.