CIDADES | Fonte: Jornal do Commercio

Leptospirose em 52 cidades

Fonte: Jornal do Commercio

Com o período de chuvas intensas, crescem as chances de alagamentos e enchentes em diversos pontos das cidades. Como consequência, a população fica exposta a um risco aumentado de leptospirose. Só este ano, em Pernambuco, 52 dos 184 municípios já notificaram casos da doença, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), que considera dados até o último dia 8. Se cuidados não forem adotados, o número de cidades e pacientes afetados pela enfermidade tende a se elevar.

Pelo menos, 284 pessoas adoeceram com sintomas de leptospirose até o momento – o dado representa queda de 43% das notificações, em comparação ao mesmo período de 2018. Apesar da redução, a SES reforça que a possibilidade de contaminação é real por causa das ruas que permanecem inundadas.

“Precisamos relembrar à população os riscos do contato com água suja ou lama contaminada pela leptospira (bactéria presente na urina de ratos) e a importância de lavar a área afetada. Os serviços de saúde também devem ficar atentos para fazer o diagnóstico e a correta assistência ao paciente, a fim de evitar o agravamento do quadro e até mesmo óbitos”, destaca o gerente de Zoonoses da SES, Francisco Duarte.

No caso de contato com água contaminada, a recomendação é lavar bem a área do corpo com água limpa e sabão. A doença é caracterizada por febre, dores de cabeça e muscular (principalmente nas pernas, na área das panturrilhas). Os sintomas podem aparecer até 30 dias após o contato com a água ou lama. O paciente ainda pode manifestar vômitos, diarreia e tosse. Nas formas graves, aparecem icterícia (pele olhos amarelos), sangramento e alterações urinárias.

Qualquer pessoa que tiver contato com a água ou lama contaminada pode se infectar. As leptospiras penetram no corpo pela pele, principalmente por arranhões ou ferimentos, e ainda pela pele íntegra, imersa por longos períodos na água ou lama contaminada. O contato com esgotos, lagoas, rios e terrenos baldios facilita a infecção.

GRAVE

Os casos leves de leptospirose são acompanhados em consultório ou ambulatório, mas os casos graves precisam de internamento. A automedicação não é indicada, pois pode agravar a doença. Ao suspeitar da enfermidade, a recomendação é procurar um serviço de saúde e relatar o contato com água das chuvas. O dado geral do Brasil mais atualizado congrega os números até 20 de maio: 1.072 pessoas tiveram diagnóstico confirmado no País.

284 casos, distribuídos em 52 cidades, foram notificados este ano em Pernambuco. Dos 35 casos confirmados, 51,4% foram na faixa etária de 20 a 49 anos

143 casos, entre os notificados, foram descartados no Estado. Assim, 106 permanecem em investigação. Além disso, duas mortes foram registradas

15% dos pacientes, segundo o Ministério da Saúde, evoluem para a forma grave, geralmente após a 1ª semana de doença

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.