CIÊNCIA E SAÚDE | Fonte: Diario de Pernambuco

Os tons para alertar a saúde

Fonte: Diario de Pernambuco

A assistente administrativa Naildete Ximenes, 56 anos, passou quatro meses sentindo dores no quadril e nas pernas. No começo, chegou a fazer alguns exames, mas acabou deixando para lá. A despreocupação dela não se estendia à família, que cobrava uma nova ida ao médico. No mês de abril do ano passado, quando se deparou com uma propaganda, Naildete ligou o alerta de vez e resolveu ceder à pressão de buscar ajuda profissional. Por meio das ações da campanha do Abril Amarelo, ela soube que dois dos sintomas que sentia eram característicos de um quadro de câncer ósseo e foi investigar o que estava acontecendo no próprio organismo.

As campanhas que correlacionam cores ao combate e prevenção de doenças têm como ponto de partida o “pink october”, em português “Outubro Rosa”, uma campanha que nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para disseminar informações sobre o câncer de mama. A data, celebrada anualmente, espalhou-se pelo mundo e serviu de inspiração para que várias entidades escolhessem uma cor para falar sobre um aspecto de saúde. Desde o início desta década, várias outras campanhas surgiram, caso do “Janeiro Branco” – dedicado aos cuidados com a saúde mental – e o “Setembro Vermelho” – um alerta sobre o crescimento de casos de doenças cardiovasculares.

Há mais de 30 campanhas que dedicam um mês a realizar ações de conscientização sobre uma doença e utilizam como símbolo uma cor. Seis delas, pelo menos, tiveram sua primeira edição em 2014. Mais de 10 são dedicadas a algum tipo de câncer. Neste mês, por exemplo, estamos no Julho Verde, que chama atenção para o câncer de Cabeça e Pescoço. “O grande objetivo é fazer a conscientização da população leiga para um tema específico, que precisa de prevenção e de um maior engajamento, como foi com o câncer de mama”, explica a presidente do Instituto Oncoguia, Luciana Holtz.

Uma das campanhas mais lembradas pela população, além do “Outubro Rosa”, é o “Novembro Azul”, criado em 2003 com a função de incentivar o homem a prevenir o câncer de próstata. A escolha do mês tem correlação com o Dia Mundial de Combate a esse tipo de neoplasia, lembrado em 17 de novembro. “Nos últimos dois anos, o Brasil diagnosticou mais câncer de próstata do que de mama. A campanha é importante para incentivar o homem a realizar o diagnóstico precoce, num momento oportuno para o tratamento”, afirma o coordenador da campanha Novembro Azul da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Geraldo Faria.

No caso da campanha “Novembro Azul”, houve uma ampliação ao longo dos anos na abordagem, que passou a ser direcionada ao cuidado com a saúde do homem. “Conseguimos medir a efetividade da campanha na ampliação da divulgação das doenças da próstata. A gente percebe que há um incentivo direto nos homens e indireto também, pois as famílias e amigos veem a campanha e passam a cobrá-los”, diz Geraldo Faria.

Uma das métricas da efetividade dessas campanhas é o aumento da procura por informação, a maior realização de exames e adesão de instituições e gestões públicas às atividades nos meses explorados, por meio da legislação ou da iluminação de monumentos públicos. No Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), por exemplo, os atendimentos chegam a aumentar 30% a 40% durante as campanhas. “A população passa a identificar como fazer a prevenção, como ter acesso aos exames, onde procurar.

Calendário de cores

Janeiro
Branco: Campanha criada em 2014, em Minas Gerais, tem como foco os cuidados com a saúde mental.
Roxo: Campanha dedicada a realizar ações de conscientização sobre a hanseníase, para marcar o Dia Nacional de Combate e Prevenção à Hanseníase.
Lilás: Campanha dedicada a alertar para a prevenção e detecção precoce do câncer de colo de útero, terceiro tumor maligno mais frequente entre as mulheres.

Fevereiro
Roxo: A cor faz alerta para três situações de saúde diferentes: lúpus, mal de Alzheimer e fibromialgia.
Laranja: Campanha visa alertar sobre a leucemia.
Verde: A campanha tem como meta conscientização sobre o câncer da vesícula biliar, difícil de ser diagnosticado precocemente.

Março
Azul-marinho: A meta é conscientizar sobre o câncer de colorretal, em função do Dia Nacional de Combate ao Câncer de Intestino, no dia  27 de março.

Abril
Amarelo: Câncer ósseo é uma doença rara, que representa menos de 2% dos tumores malignos, mas tem alto índice de mutilações. Campanha foi criada pelo HCP em 2014.
Azul: Chama a atenção para o debate sobre o transtorno do espectro autista e ocorre em abril por causa do Dia Mundial da Conscientização do Autismo (2 de abril)
Verde: Objetivo de reduzir os acidentes de trabalho e os agravos à saúde do trabalhador, além de mobilizar a sociedade para prevenção das doenças decorrentes do trabalho.
Lilás: Objetivo para alertar para o câncer de testículos. Tumores representam 5%.

Maio
Roxo: Celebra o Dia Internacional das Doenças Inflamatórias Intestinais. Amarelo: Debate sobre prevenção de acidentes de trânsito.
Cinza: Alerta para o câncer do Sistema Nervoso Central
Verde musgo: Marca o câncer de ovário.

Junho
Vermelho: Celebra o Dia Mundial do Doador de Sangue.
Branco: Conscientização para a escoliose, um desvio tridimensional na coluna.
Preto: Conscientização e prevenção ao câncer de pele
Laranja: Alerta população  dos sinais da leucemia e da anemia, doenças que afetam o sangue.

Julho
Amarelo: Julho Amarelo é adotado pelo Ministério da Saúde, com mobilizações para estimular as pessoas a se vacinarem e a buscarem o diagnóstico precoce das hepatites virais.
Verde-escuro: O Julho Verde é uma campanha que faz alusão ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço.

Agosto
Laranja: Dia Nacional de Conscientização da Esclerose Múltipla. (30 de agosto)
Dourado: Instituído desde 2017, o agosto dourado reforça a importância do aleitamento materno.
Verde claro: Mês de combate ao linfoma, que ocorre nas células do sistema imunológico.

Setembro
Amarelo: Prevenção ao suicídio, campanha do Centro de Valorização da Vida(CVV), Conselho Federal de Medicina e Associação Brasileira de Psiquiatria.
Verde: Dia Nacional da Doação de Órgãos.
Vermelho: Alerta para as doenças cardiovasculares.

Outubro
Rosa: É a mais conhecida dentre as campanhas de cores, dedicada ao combate ao câncer de mama. Foi criada nos Estados Unidos, em 1990. O maior símbolo é o laço rosa.

Novembro 
Azul: Prevenção e combate ao câncer de próstata. No Brasil, teve início em 2008.
Branco: Campanha alerta para o câncer de pulmão.
Dourado: Criada em 2014 pela Confederação Nacional de Instituições de Apoio à criança e ao Adolescente com Câncer (Coniacc).

Dezembro
Vermelho: Campanha lembra a importância de se proteger contra a Aids e se tornou oficial no Brasil em 2017. O laço vermelho foi criado em 1991, pela Visual Aids, em Nova York.
Laranja: Movimento “Dezembro Laranja” faz parte da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings