OPINIÃO | Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

É melhor prevenir do que remediar

Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

Felipe Carreras
Deputado federal e presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Preventiva

É melhor prevenir do que remediar. Escutei e escuto esta frase da minha mãe desde quando ainda era criança. Desde sempre, ela me ensinou que a palavra prevenção é mais importante do que esperar que a doença venha. Enquanto em épocas passadas o maior trabalho dos nossos pais era afastar de nós qualquer coisa que pudesse nos deixar doentes, hoje nosso foco parece ser exclusivamente o de tentar remediar.

Este é o retrato da saúde do Brasil, que tem cerca de 150 milhões de brasileiros dependentes do SUS. Enquanto o governo federal gasta mais de R$ 120 bilhões no Sistema Único de Saúde por ano para se tratar exclusivamente das pessoas após elas adoecerem, não há nem um relato ou estatística de qualquer centavo destinado à saúde preventiva. A política, a meu ver equivocada, há décadas, é apenas reativa. Fico perplexo quando vejo dados importantes, como o da Organização Mundial de Saúde (OMS), que afirma que para cada US$ 1 investido em atividade física, US$ 4 deixam de serem gastos nos hospitais públicos. Precisamos urgentemente virar a chave e mudar nossa forma de cuidar da saúde das pessoas.

Pesquisas realizadas no Brasil e no mundo têm nos mostrado o caminho para melhorar a qualidade de vida do nosso povo. Segundo dados divulgados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), cerca de 40% da população adulta brasileira tem pelo menos uma doença crônica não transmissível (DCNT). O levantamento, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE aponta que as DCNTs são responsáveis por mais de 72% das causas de mortes no Brasil.

Diante de um cenário tão impactante, fica uma pergunta: o que podemos fazer para mudar a realidade? Haja vista o Ministério da Saúde não possuir nenhum planejamento sobre este tema, prefeituras e estados, isoladamente e com ações desarticuladas, estão tentando de alguma forma promover espaços e condições de as pessoas se exercitarem e se alimentarem melhor ao longo da vida.

No Recife, como secretário do prefeito Geraldo Julio, implantamos as estações de ginástica e academias ao ar livre, que hoje possuem aproximadamente 20 unidades e mais de 110 mil inscritos. São milhares de pessoas que estavam doentes e que atualmente trabalham, têm uma vida social ativa e mudaram suas realidades. Sem remédio. Com prevenção. Implantamos ainda a ciclofaixa de lazer aos domingos e vimos a cidade incluir no seu dia a dia as bikes como transporte ou mesmo lazer. É mais gente se exercitando e se apropriando dos espaços públicos. Quando estivemos como secretário do governador Paulo Câmara, reconstruímos o Parque Santos Dumont, que hoje possui mais de cinco mil pessoas de todas as idades praticando 46 modalidades esportivas e de lazer.

Na Câmara dos Deputados, temos tentado alterar este modelo de apenas remediar e não prevenir, com a valorização dos profissionais de Educação Física, Nutrição e Fisioterapia com projetos de lei voltados para essas categorias. Além disso, apresentamos projetos para dedução do valor investido em academias, com personal treiners, nutricionistas e fisioterapeutas no imposto de renda, além de desoneração para aquisição de equipamentos para academias, entre outros.

Na presidência da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Preventiva, estamos buscando soluções para mudarmos esta forma de enxergar a saúde. Queremos fortalecer não apenas a prática de exercícios físicos, como também melhorar a qualidade da alimentação dos brasileiros. Precisamos de uma política indutiva por parte do Governo Federal. Um eixo estruturado sobre o tema que possa ser espelhado para estados e municípios. É necessário provocar uma mudança cultural, onde a prevenção possa fazer parte de forma natural da vida das pessoas. O Estado possui esta dívida com o povo brasileiro. Não falo deste governo, mas de todos que já passaram por Brasília. Esta mudança é urgente para que a próxima geração já esteja diante de um cenário melhor, com mais prevenção em todos os aspectos, desde mais espaços de qualidade para a prática de exercício físico, até uma alimentação mais saudável e de boa qualidade. Apenas assim vamos ver os hospitais menos cheios e os parques cada vez mais ocupados. Apenas desta forma vamos mudar a saúde do Brasil e transformar nossas cidades em cidades mais humanas!

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings