Campanha convoca adultos para vacinação

Fonte: Jornal do Commercio

Os postos de saúde participam de hoje até o dia 30 deste mês da segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, que tem como público-alvo pessoas de 20 a 29 anos, que é considerado o grupo mais difícil de ser alcançado em ações de imunização. Dos 90 casos confirmados da doença em Pernambuco este ano, 24,4% foram registrados em pessoas de 20 a 29 anos – a terceira faixa etária com maior número de adoecimento por um vírus altamente contagioso. No Estado, depois do público de 10 a 19 anos (34,5% dos casos confirmados) e dos menores de 6 meses de vida a 9 anos (28,8%), os adultos jovens são os mais acometidos pela doença.

Por isso, aqueles que têm de 20 a 29 anos e sem comprovação do esquema vacinal contra sarampo completo (com pelo menos duas doses da tríplice viral ao longo da vida) devem procurar um dos postos de saúde para fazer a imunização. Durante esse período, as doses da vacina, cuja proteção também é contra caxumba e rubéola, serão direcionadas prioritariamente ao público-alvo definido pelo Ministério da Saúde. A ação é um esforço para interromper a circulação do vírus do sarampo e proteger os grupos mais acometidos pela doença.

A coordenadora de Imunização da Secretaria de Saúde do Recife, Elizabeth Azoubel, lembra que a vacinação contra o sarampo não precisa de reforço anual. “Quem está com o esquema completo, ou teve a doença, não precisa se preocupar. Nos últimos meses, imunizamos muitos adultos porque a maioria perde a carteira de vacinação e não sabe se tomou a tríplice viral. É importante guardar o cartão como se fosse um documento, pois ele é essencial para a vida inteira”, reforça.

Para sensibilizar as pessoas de 20 a 29 anos, a Secretaria de Saúde do Recife trabalhará com foco em estratégias nos locais de grande circulação dessas pessoas. “Vamos fazer chegar mensagem às escolas, às universidades e a lugares onde o público jovem mais frequentam. Vamos estudar novamente a possibilidade de fazer horário estendido nas salas de vacinação”, informa o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.

A dificuldade para conscientizar os adultos jovens sobre a importância da imunização vem do fato de eles não terem presenciado as sequelas que o sarampo deixa, como perda auditiva, pneumonia severa e óbito. Eles não assistiram aos surtos da doença que ocorreram nas décadas de 1970 e 1980 no País. Erroneamente acreditam que se trata de uma doença simples. Mas o sarampo pode levar a várias complicações severas e à morte. “Como falamos de uma doença que pode ter comportamento grave, há importância contínua de se manter a caderneta atualizada”, reforça o secretário estadual de Saúde, André Longo.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings