Sarampo | Fonte: Jornal do Commercio

Jovens ficam longe dos postos

Fonte: Jornal do Commercio

Saúde acredita que novo público alvo da campanha de vacinação, que segue até dia 30, já foi imunizado e é difícil prever a procura O primeiro dia da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, que aconteceu ontem, foi tranquilo nos postos da capital pernambucana. O foco desta vez são os adultos jovens de 20 a 29 anos, faixa etária que, no Brasil, acumula o maior número de casos confirmados da doença. No Estado, o cenário é diferente: é o terceiro público com maior número de adoecimento por um vírus altamente contagioso, atrás do grupo de 10 a 19 anos e dos menores de 6 meses de vida a 9 anos. “Já vacinamos muitos adultos desde agosto (quando o Recife começou a registrar os primeiros casos de sarampo este ano) e não temos uma meta para essa faixa etária, como acontece com as crianças, é impossível prever como será a procura pela vacina por esse público”, esclarece a coordenadora de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Elizabeth Azoubel. A realização dessa fase da campanha, segundo o Ministério da Saúde, é importante para interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo em jovens dessa faixa etária que não tomaram as duas doses da vacina. A campanha faz parte das ações do Movimento Vacina Brasil, e o dia D acontecerá no dia 30 deste mês, mesmo dia em que a campanha se encerra. “Nesta etapa, precisamos atingir uma faixa etária que dificilmente adoece e, consequentemente, não costuma visitar os postos de saúde. Então, a estratégia de vacinação também é diferente porque precisamos ir até essa população. Solicitamos aos gestores que se articulem com escolas, universidades, comerciantes e promovam vacinação volante. Essa faixa etária é a maior responsável pela transmissão da doença e, para interromper a cadeia de transmissão de sarampo, precisamos atingir esse público”, destaca o ministro interino da Saúde, João Gabbardo. Ele acrescenta que os adultos jovens precisam pensar naqueles que são mais suscetíveis às complicações da doença. “Nesse público, o problema não é a gravidade, mas o fator de transmissão da doença” acrescenta. Ontem a advogada Rebecca Braga, 24 anos, foi à Policlínica Lessa de Andrade, no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, à procura da tríplice viral (protege contra sarampo, caxumba e rubéola) e de outras vacinas. “Como vou fazer uma viagem internacional e precisava de algumas vacinas para passar pela imigração, aproveitei para deixar em dia todas as pendentes. Tomei a dose contra sarampo hoje pra me prevenir mesmo, pois sempre aparece um caso novo da doença. O melhor a fazer é evitar”, relatou Rebecca. Para o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, ainda é preciso esclarecer que há recomendações importantes às mulheres, que não podem tomar a vacina durante a gestação, mas precisam se proteger antes de engravidarem. “Caso a mulher esteja grávida ao tomar a vacina, a recomendação é que seja feito acompanhamento. O público de 20 a 29 anos comporta um grande número de mulheres em idade fértil, e é importante que se vacinem, caso não estejam grávidas”, afirma Wanderson de Oliveira. O surto de sarampo ainda se encontra em atividade no País. Atualmente, 5.660 casos foram confirmados. Além disso, 19 Estados, incluindo Pernambuco, encontram-se em transmissão ativa. 90 casos de sarampo foram confirmados em Pernambuco este ano. Desse total, 22 foram no público de 20 a 29 anos 2 doses da tríplice são indicadas até 29 anos. Quem não tem comprovação do esquema vacinal deve ir a um posto 150 postos do Recife participam desta 2ª fase da campanha, que vai até o dia 30 deste mês, quando acontece o Dia D 93% é a taxa de cobertura vacinal com tríplice da 1ª dose no Recife. A 2ª está em 75%. O ideal é que ambas atinjam 95%

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings