saúde | Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

Médicos de UPA protestam contra demissões

Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO

Médicos da UPA Gregório Lourenço Bezerra, na Cidade Tabajara, Olinda, protestaram ontem contra demissões promovidas pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), que gere a unidade. De acordo com os manifestantes, a entidade quer reduzir o quadro em 33% a partir de fevereiro.

“Quem usa, sabe o quanto que os serviços de urgência são insuficientes. E essa proposta de redução só irá trazer prejuízos diretos à população. Alguns colegas já estão em aviso prévio”, alerta o clínico-geral Carlos Medeiros. “Nós somos uma porta de entrada para o serviço médico gratuito, já que a população não pode recorrer diretamente a um hospital. Sem as UPAs, não dá para falar em serviço de urgência”, acrescenta.

De acordo com Carlos, os primeiros cortes começaram há um ano, quando foi reduzido o número de pediatras. “Atendemos 350 pessoas por dia já com três clínicos-gerais. Imagine o caos que vai ficar se reduzir para dois?”

A doméstica Cristiane de Arruda, 47, foi à unidade buscar ajuda para uma dor na perna esquerda. “Faltam médicos aqui. Com essa história, vai piorar ainda mais. Geralmente, o atendimento demora bastante”, reclama. O protesto contou com a presença do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe). “Todos conhecemos a realidade das urgências e emergências de Pernambuco. E diminuir a quantidade de médicos nunca é algo bom. Estamos tomando as medidas necessárias”, salienta o diretor-executivo do Simepe, Fernando Júnior. De acordo com o diretor, já foram emitidos ofícios ao Imip, Secretaria Estadual de Saúde, Ministério Público e Conselho Regional de Medicina.

Em nota, o Imip afirma que a redução foi necessária por equilíbrio das contas e que a UPA tem um médico a mais na escala noturna. “Foi necessária a redução do profissional extra, uma vez que o contrato não cobre os custos deste profissional. Tal ação foi comunicada previamente à SES, bem como tratada em reunião com os médicos da unidade. Está em curso processo licitatório da novo contrato de gestão”.

Já a SES diz que está em diálogo com o Imip para resolver a situação. “Atualmente está em processo de licitação um novo contrato para a UPA de Olinda. Nesse contrato, já está previsto o redimensionamento do plantão de clínica médica noturno da unidade. A expectativa é que a mudança ocorra até o fim deste primeiro semestre”.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings