COVID - 19 | Fonte: Folha de Pernambuco

Médicos recém-formados têm plataforma online para aprender sobre Covid-19

Fonte: Folha de Pernambuco

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco.

A pandemia do novo coronavírus colocou na linha de frente de hospitais e de postos de saúde milhares de médicos recém-formados, muitos dos quais tiveram suas formaturas antecipadas em razão da necessidade urgente de ampliar a capacidade de atendimento à população.

O trabalho de combate à Covid-19, no entanto, exige desses profissionais uma busca contínua por atualizações sobre condutas relacionadas ao tratamento da doença, uma vez que novos procedimentos estão sendo desenvolvidos em meio à evolução da pandemia. “Não só em tempos de pandemia, a bibliografia médica se atualiza com uma velocidade que é muito difícil de acompanhar”, diz o médico Vinicius Fernandes, que começou a trabalhar em hospitais de campanha em Ribeirão Preto três meses após se formar.

Tendo em vista a necessidade, o Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro) criou uma plataforma com tutoriais ensinando práticas atualizadas para o tratamento da doença. Os vídeos foram produzidos em parceria com a Universidade Estácio de Sá e com o Instituto Carlos Chagas. “Para uma estratégia bem sucedida, precisamos ter atenção aos detalhes, já que há muitas adversidades. E um dos detalhes mais importantes é a capacitação de pessoal”, afirma Ricardo Cavalcanti, presidente do Instituto Carlos Chagas.

O diretor nacional de medicina da Estácio, Silvio Pessanha Neto, cita, por exemplo, que o procedimento para a intubação de um paciente com Covid-19 é diferente do que normalmente é feito em outros casos. “Antes de entubar, é preciso pré-ventilar o paciente para ele poder ficar pré-oxigenado [e não ocorra dessaturação, que pode reduzir o impedir a respiração] antes de colocar o tubo. Na Covid-19, não pode fazer isso porque o paciente acabaria espalhando o vírus pela sala toda”, diz. São especificidades como essa que o tutorial se propõe a explicar. “Existem várias peculiaridades que um profissional que acabou de sair da faculdade e vai encarar o tratamento de um coronavírus não conhece”, acrescenta Neto.

“Na faculdade, nós aprendemos todas as práticas. Mas não fomos ensinados a lidar especificamente com a Covid-19, que tem características próprias e procedimentos específicos”, reconhece o médico Victor Hugo Ribeiro. O profissional, que teve sua formatura antecipada em razão da pandemia, tem acompanhado os vídeos do Cremerj. “Quando começou a pandemia, a faculdade parou com as aulas presenciais, então não tinha como treinar na faculdade. Esse tipo de complementação de formação online ajuda.”

Ribeiro pôde se formar com base em uma medida provisória que permite formatura antecipada de universitários da área da saúde. Para medicina, uma das exigências é de que os estudantes tenham concluído 75% da carga do internato do curso (período que engloba os últimos anos da graduação, com estágio em hospitais).

Em dez videoaulas, gravadas por professores e profissionais especializados, o tutorial abrange também condutas para paramentação, utilização e descarte de EPIs (equipamentos de proteção individual) para profissionais da saúde e pacientes com coronavírus. Até o fim da segunda quinzena de maio, mais de 30 mil profissionais da saúde tinham sido infectados pelo coronavírus, segundo o Ministério da Saúde. A reportagem solicitou o número atualizado, mas não obteve retorno da pasta até a publicação deste texto.

Tags :
Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings