Covid-19 | Fonte: Jornal do Commercio

Medidas nem tão duras assim

Fonte: Jornal do Commercio

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

SAÚDE Apesar do aumento dos casos da covid-19, reunião entre governador e prefeitos não resultou em restrições mais rígidas à população

226 mil pessoas já testaram positivo para a covid-19 em Pernambuco 9,7 mil mortes pela doença já foram registrados no Estado, desde o início da pandemia

Desde o fim de outubro do ano passado, os indicadores da covid-19 em Pernambuco sinalizavam um alerta para o repique de casos da doença a que hoje assistimos. De lá até hoje, autoridades e cientistas têm medidas de restrição mais duras no Estado. Até mesmo o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) considerado recentemente “incompreensível a permissão para reuniões, comemorações, festividades, bem como a frequência de bares e restaurantes, com elevado número de pessoas, propiciando como inevitáveis aglomerações”. Ontem, em coletiva de imprensa transmitida pela internet, o governo do Estado garante que novas medidas mais rigorosas serão destinadas para combater e punir o desrespeito às normas sanitárias. Também ontem o governador Paulo Câmara reuniu, em videoconferência, prefeitos das cidades litorâneas de Pernambuco. Ele anunciou que o Estado mobilizará órgãos de segurança e fiscalização para apoiar ações dos municípios no controle de bares e barracas de praia. Ainda foi solicitada a colaboração da sociedade. “Vamos ter que aumentar as medidas de fiscalização de forma mais dura e objetiva. Quero pedir a colaboração de todos com o Procon, com a Defesa Social e com as guardas municipais das prefeituras com orlas de praia, para que nos comuniquem ”, disse o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico. Uma possível interdição de praias não está descartada, um depender dos números nas próximas semanas. Num momento em que uma taxa de ocupação das vagas de terapia intensiva (UTI) permanece na zona de criticidade em Pernambuco, com taxas que não saem da casa dos 80%, mesmo com uma reativação de novos leitos, o governo ainda dá sinal verde para eventos sociais até 150 pessoas. Até ontem a capacidade era o dobro. Mas agora seria o momento de ajustamento no plano de convivência para uma fase mais compatível com a realidade de aumento de casos deinfecção pelo novo coronavírus. As autoridades sanitárias necessárias se mobilizar não apenas para reabrir leitos, mas também para colocar em prática um modelo direcionado à redução de disseminação do vírus. Segundo Eurico, se houver desrespeito às normas, o Estado vai aplicar automaticamente multa aos adaptadores e notificar diretamente por notícia-crime ao Ministério Público para instaurar processo criminal. O secretário informou ainda que, nos últimos 30 dias, já foram multados mais de 150 dispositivos com valores que chegam a quase R $ 350 mil. “Em caso de reincidência, a interdição do estabelecimento será definitiva. Só podendo reabrir por ordem judicial. Já o secretário executivo da Defesa Social, Humberto Freire, esclareceu que as ações das operativas (Polícia Civil e Polícia Militar) visam garantir que as medidas sejam seguidas. “O descumprimento enseja a instauração de inquérito policial, como já foi feito com algumas festas ilegais. Os promotores podem responder processo por crime contra a saúde pública ”, informou. “É importante que os organizadores e o público contribuam para que haja reversão da curva e que não seja preciso levar à Justiça e conduzir pessoas para autuação em delegacias.”

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings