Procurar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Fevereiro Laranja: mês de prevenção e combate à leucemia


Foto: Leandro de Santana/ DP

Desde 2019, este mês é denominado Fevereiro Laranja, sendo destinado a conscientização aos sinais e sintomas da leucemia, doença maligna dos glóbulos brancos de origem desconhecida. A principal característica é o acúmulo de células doentes na medula óssea. Em Pernambuco,  o Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC) informa a população sobre o câncer e seus tipos, além de reforçar o diagnóstico precoce, pois, com ele, as taxas de cura aumentam. Há 23 anos o GAC-PE oferece assistência social humanizada às crianças, adolescentes e jovens que perseveram valentemente contra o câncer.


De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), há mais de 10 tipos de leucemia, mas os quatro principais são: leucemia mieloide aguda (LMA) – mais comum no adulto, leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfóide aguda (LLA) – mais frequente em crianças, correspondendo a 26% de todos os tumores malignos – e leucemia linfóide crônica (CLL). Cada tipo conta com um diferente tratamento que pode ser transfusão de sangue, quimioterapia e transplante de medula óssea.


Em março do ano passado, a dona de casa Marília Lima, moradora do bairro da Imbiribeira, recebeu a notícia mais difícil da sua vida: aos quatro anos de idade, sua filha, Maria Júlia, foi diagnosticada leucemia linfóide aguda, tipo de câncer que acomete a medula óssea. Em meio à pandemia da Covid-19 a pequena Júlia precisou ser internada para começar o tratamento no Centro de Oncologia e Hematologia Pediátrica (CEONHPE), no Hospital Oswaldo Cruz. O GAC-PE participa ativamente na vida da criança com a humanização do tratamento e no cuidado e acolhimento para encarar as dificuldades.


“A rotina e os cuidados com Júlia são totalmente diferentes de outras crianças. A alimentação dela é diferente da minha e do seu pai, como por exemplo o molho de tomate que é feito em casa”, conta. “Além disso, limpeza constante na casa, cuidado redobrado com a higiene pessoal, evitar correr e pular, entre outros”, considera Marília. 


De acordo com a médica oncologista pediátrica e presidente do GAC-PE, Vera Morais, os sinais e sintomas mais comuns são: febre, palidez, sangramento em qualquer local do corpo, feridas na pele (podendo até ser confundida com dengue), falta de ar e aumento do volume do abdome gânglios e adenomegalias. “A leucemia tem um grande índice de cura se comparado aos outros tipos de câncer. O diagnóstico precoce é fundamental para os resultados positivos que se deseja obter”, pontua a Dra. Vera Morais.