Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Mais de dois mil pacientes do HC aguardam ressonância

Médicos residentes do HC estiveram na sede do Ministério Público Federal| Foto: Guga Matos

Médicos residentes do HC estiveram na sede do Ministério Público Federal| Foto: Guga Matos

Os médicos residentes do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em greve há três semanas, procuraram na quarta-feira (29/07)  o Ministério Público Federal para denunciar problemas na estrutura da unidade e pedir que a direção do serviço seja convocada para um Termo de Ajustamento de Conduta. Segundo eles, cerca de 2.100 pacientes do ambulatório estão aguardando exame de ressonância magnética desde 2013. A quota mensal, realizada em outros serviços do SUS, não chega a 10% desse saldo e inclui hospitalizados.

“Num hospital de alta complexidade como o das Clínicas, os exames de imagem, para definir diagnóstico e tratamento, são fundamentais. A restrição prolonga a permanência e o sofrimento dos doentes, adiando a resolução do seu problema. São pessoas com doença osteomusculares, suspeitas de câncer e outras enfermidades. Residentes de radiologia estão cumprindo atividade em outros serviços do SUS, como os Hospitais Getúlio Vargas e Miguel Arraes para não comprometer a aprendizagem”, contou o médico Walter de Oliveira, no terceiro ano do curso de especialização.
O Hospital das Clínicas também tem problemas para atender a demanda interna por tomografia. Das 1.200 que precisa por mês para pessoas internadas e em acompanhamento ambulatorial, só tem conseguido 30 liberadas pela Secretaria Estadual de Saúde. O tomógrafo do HC é antigo e não funciona com regularidade. A ressonância precisa ser instalada.