Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

UPAs terão plantões reduzidos

A redução de custos na saúde chegou às Unidades de Pronto Atendimento (UPA), atingindo os plantões pediátricos. Na unidade do Cabo de Santo Agostinho mão haverá mais o serviço. Na da Imbiribeira, o plantão noturno para crianças deixará de existir. A denúncia foi feita por médicos que receberam, nesta semana, cartas de aviso prévio informando que só vão trabalhar até o final do mês. Até amanhã, a direção das unidades de Olinda e dos Torrões se reunirá com os pediatras e a expectativa é que também sejam anunciados cortes. Segundo o Sindicato dos Odontologistas do Estado, o serviço de odontologia das UPAs também será cortado.

“A gente fica sem emprego, mas as crianças vão ficar sob risco”, criticou a pediatra Lissandra Moura, que atende na unidade da Imbiribeira. Na última terça-feira (1º), ela e outros colegas que trabalham à noite receberam a informação que o plantão noturno será extinto, junto com a carta de aviso prévio. “Agora o paciente terá que escolher o horário para ficar doente, que deve ser entre 7h às 19h. Isso é uma negligência. Mas recebemos pacientes graves em todos os horários. Agora eles vão para onde?”, lamentou a pediatra.

Na UPA do Cabo a notícia da demissão em massa dos pediatras e fechamento do serviço chegou pelo aplicativo WhatsApp. Na mensagem, o diretor clínico da unidade lamentava o fim do atendimento e alegava dificuldades financeiras motivadas por problemas de repasse financeiro tanto do Ministério da Saúde, quanto da Secretaria Estadual. “Sabíamos que estávamos passando por uma fase difícil. Os salários estavam atrasando. Mas não esperávamos que fosse fechar o serviço por completo. Fomos pegos de surpresa”, contou a médica Vina Larissa. Na unidade, a escala contava com quatro médicos por dia.

Odoltologia

O Sindicato dos Sindicato dos Odontologistas do Estado denunciou que os plantões 24 horas de odontologia das UPAs de Olinda, Paulista, Curado, Engenho Velho e Nova Descoberta serão cortados. Segundo Carlos Resende, que faz parte da diretoria do sindicato, nessas unidades, dentista de emergência agora só no período diurno. Apenas a de Petrolina, no Interior, continuará com atendimento em período integral. Rezende destacou que a redução no plantão é uma perda grande para a saúde e um retrocesso nas promessas da gestão de popularizar as emergências de saúde bucal. “Hoje temos 15 UPAs no Estado. Todas deveriam ter o serviço de plantão odontológico, mas apenas seis tinham. Agora perdemos praticamente todas”, reclamou.

Para o presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Mário Jorge, esses novos cortes na saúde implicam em desassistência. “Esse cenário coloca em risco a saúde da população”, disse. Segundo ele, em reunião nesta semana com o secretário Estadual de Saúde, Iran Costa, sobre a redução dos serviços, incluindo o fechamento dos plantões pediátricos, foi informado que que “os cortes foram apontados após um estudo dos fluxos em cada unidade”.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que “desde o início do ano, vem realizando estudos de viabilidade e dialogando com as Organizações Sociais que gerenciam as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) no sentido de readequar as escalas de plantões e serviços ofertados de acordo com a demanda da população e o desenho da rede de assistência, com o intuito de garantir o atendimento aos usuários”. A SES informou, também, que algumas dessas unidades tiveram os serviços reduzidos em horários onde não havia demanda suficiente para justificar a manutenção e custeio da equipe. Mas não precisou quantos e onde os plantões foram cortados.

– See more at: http://www.folhape.com.br/cms/opencms/folhape/pt/cotidiano/noticias/arqs/2015/09/0044.html#sthash.z6fH2MMQ.dpuf