Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Para andar de bicicleta sem medo, siga cuidados que ajudam a evitar acidentes

Andar de bicicleta tornou-se um programa pra lá de prazeroso em várias cidades do Brasil, especialmente nos dias ensolarados. Para a diversão não ir por água abaixo, vale a pena tomar cuidados antes de pegar a bike e sair de casa. O uso do equipamento de proteção, como capacete e joelheiras, é fundamental. Mas as recomendações vão além. “A escolha de um calçado adequado e uma boa postura são dicas básicas que podem evitar lesões”, explica o médico André Gomes, chefe da Ortopedia e da Emergência Ortopédica do Hospital São Marcos, no Recife, integrante da Rede D’Or São Luiz.

Para ajudar a manter a postura, é importante saber se o assento está na altura correta. Para isso, basta se posicionar ao lado da bicicleta e verificar se ele está na altura do quadril. Também é preciso manter a cabeça alinhada e coluna, ombros, mãos e pescoços relaxados. Outra dica fundamental é realizar alongamento. Isso melhora a flexibilidade e prepara os músculos para a prática da atividade física.

Sobre lesões, André Gomes explica que punho, cotovelo, antebraço e tornozelo são as regiões que mais sofrem lesões. Essas também são as mais afetadas em caso de quedas. “Normalmente, o primeiro reflexo da pessoa é apoiar as mãos e os pés no chão para se defender, o que pode ocasionar entorses e fraturas”, diz.

Em caso de acidentes, a recomendação é procurar atendimento médico. Se a queda for leve, o ideal é uma compressa de gelo, que ajuda os vasos sanguíneos dilatados a fecharem, fazendo com que a lesão sare mais rápido. Se houver ferida, é recomendado lavar bem a área afetada com água e sabão para evitar infecções. E se o caso for grave, não se recomenda mexer no membro afetado. O ideal é chamar socorro imediatamente.

Sobre crianças, o ortopedista faz ainda alguns alertas. “Escolha uma bicicleta de tamanho apropriado para a faixa etária da criança e não a force a andar sem rodinhas até que ela esteja apta. É preciso usar equipamento de proteção e, sobretudo, dar o exemplo: os adultos devem mostrar a importância de as crianças seguirem a sinalização e explicar que manobras radicais necessitam de tempo e preparo para serem executadas”, diz André Gomes.