Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Jovem paraibano com superobesidade consegue ficar em pé

Carlinhos, que permanece internado no Hospital das Clínicas, está se aproximando do sonho de voltar a andar

Internado há dois meses e meio no 10º andar do Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para se tratar da superobesidade, o paraibano Carlos Antônio dos Santos Freitas, 28 anos, conhecido como Carlinhos, está cada vez mais perto de realizar o sonho que alimenta: voltar a andar. Nesta fase de preparação do jovem para a cirurgia bariátrica, que deve ser realizada no início de 2016, a equipe da unidade de saúde já consegue colocar Carlinhos em pé.

“Ele fica firme no chão por alguns minutos, o que consideramos um grande passo na fase de tratamento clínico da superobesidade. Mas precisamos avançar mais”, diz o chefe do Serviço de Cirurgia-Geral do HC, Álvaro Ferraz, que coordena a força-tarefa focada no processo de assistência social e de perda de peso do jovem, que mora em Patos, no Sertão da Paraíba. O trabalho de fortalecimento muscular, realizado por fisioterapeutas em atividades de reabilitação com Carlinhos, tem sido fundamental para manter o paraibano em pé, mesmo que seja por pouco tempo.

O médico, que passou duas semanas sem ver o paraibano enquanto participava do Congresso Mundial de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, em Viena (Áustria), surpreendeu-se ao ver Carlinhos quando retornou do evento. “Quem o viu dar entrada no hospital com 420 quilos e compara com o Carlinhos de agora já percebe que ele está visivelmente menos pesado. Certamente, perdeu bastante peso, mas ainda não conseguimos fazer a pesagem dele em balanças tradicionais”, informa Álvaro.

Os ganhos, segundo o médico, são fruto dos cuidados oferecidos por um exército de profissionais. Ao todo, a assistência terapêutica voltada para Carlinhos envolve médicos de mais de 10 especialidades, que unem forças com um time de profissionais de saúde composto por terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais e psicólogos. Recentemente, um dentista passou a fazer parte da equipe para cuidar da saúde bucal do jovem e fazer com que ele tenha os dentes de volta.

Inicialmente, a previsão era colocar um balão intragástrico no jovem ainda neste ano, a fim de ajudar o processo de perda de peso. “Mas se percebemos que ele continua a perder peso, talvez nem seja necessário passar por esse procedimento”, frisa Álvaro.

Ao longo desses dois meses e meio, a equipe médica do HC conseguiu controlar as feridas infectadas nas pernas do jovem e o edema nos membros inferiores causados por retenção de líquido. “Também observamos, a olho nu, redução de medidas nos membros superiores.”

O paraibano, que sempre teve sobrepeso, passou a comer sem controle após os 15 anos. Em 2013, o peso dele só fez aumentar de forma muito rápida. Em abril daquele ano, ele estava com 245 quilos. Engordou quase 200 quilos em dois anos. Ele é o paciente mais pesado atendido até hoje pelo HC, que realiza cerca de 100 cirurgias bariátricas por ano.