Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Receita para cuidar do coração

SAÚDE Caminho é ficar longe do cigarro, do sedentarismo e optar por alimento saudável. Dicas serão repassadas hoje na Jaqueira

Gordura, tabagismo e estresse. Essa é a receita que, repetida por anos, pode resultar no desenvolvimento de doenças cardiovasculares, principal causa de morte da população adulta no mundo. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que mais de 300 mil pessoas infartam todo ano e dessas, 100 mil morrem. Já em Pernambuco, infarto agudo do miocárdio levou 5.374 pessoas a óbito em 2014. Para chamar a atenção sobre a importância de prevenir problemas cardiovasculares e marcar o Dia Mundial do Coração, hoje, a Secretaria de Saúde do Recife realiza uma ação no Parque da Jaqueira, na Zona Norte da capital. Quem passar pelo local poderá receber orientação sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento correto das doenças. A iniciativa acontece das 6h30 às 10h.

Segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% dos casos de ataque cardíaco e infarto prematuro poderiam ser evitados com ações preventivas. O cardiologista Sérgio Taffer, do Centro Médico Senador Ermírio de Moraes, unidade de referência do Recife, concorda que os problemas cardíacos estão diretamente ligados ao estilo de vida da população e aos hábitos alimentares. “Numerosos estudos apontam que pequenas atitudes causam grande impacto na redução ou potencializam os riscos de doenças cardíacas. Trocar comidas industrializadas por alimentos naturais e saudáveis, o sedentarismo pela prática de exercícios, além de dormir bem e ter higiene bucal são atitudes que podem trazer uma vida mais longa e de qualidade. É questão de controlar os fatores de risco”, afirma o especialista.

São consideradas doenças cardiovasculares as coronarianas (infarto do miocárdio e angina do peito), cerebrovascular (AVC e ataque isquêmico), arterial periférica e aterosclerose da artéria aorta. Entre os principais fatores de risco dessas doenças encontram-se a hereditariedade, estresse, obesidade, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto. “Para entrar no grupo de risco basta apresentar um desses fatores, que funcionam como um gatilho para o infarto, acidente vascular cerebral e outras doenças cardiovasculares. Então, é preciso redobrar a atenção nesses casos.”

SILENCIOSO

Em geral, os problemas cardiovasculares avançam de modo silencioso, sem apresentar sintomas. “Muitas pessoas não sentem sinais prévios que possam indicar problemas cardiovasculares, por isso é importante realizar sempre exames e ter o acompanhamento médico em todas as idades, uma vez que, apesar dos infartos acontecerem geralmente após os 40 anos, os problemas cardiovasculares por trás deles costumam ter início cedo. Atualmente, a cada três minutos uma pessoa morre em consequência de infarto do miocárdio e AVC. E a previsão da OMS é bastante pessimista para o futuro. Estudos apontam que, até 2050, uma pessoa irá a óbito a cada um minuto e 30 segundos. E somente o cuidado com a saúde poderá reverter esse quadro”, alerta Sérgio Taffer.