Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Aos 84 anos, morre Osvaldo Coelho

DESPEDIDA Ex-deputado teve uma parada cardíaca em sua casa no Recife. Velório e enterro serão realizados em Petrolina, onde a família Coelho tem forte presença política

Faleceu na noite de ontem, por volta das 19h30, o ex-deputado Osvaldo Coelho (DEM), 84 anos, de Petrolina, onde a família Coelho tem forte presença na história da política. Ele teve uma parada cardíaca em sua casa no Recife, na Ilha do Retiro. Foi deputado estadual por três vezes e federal por oito vezes. Também foi secretário da Fazenda de Pernambuco, no governo do irmão Nilo Coelho. Era pai do atual vice-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho (PSDB), e tio do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB).

O velório e o enterro serão hoje em Petrolina. O político deixou seis filhos e 12 netos, além da viúva Anamaria Cruz de Souza Coelho, com quem estava casado há 55 anos. O petrolinense sofria de diabetes e, como consequência, de problemas de circulação. Mas estava bem nos últimos dias, segundo os familiares. Recentemente havia passado por um check up na capital.

No sábado (31), Osvaldo Coelho esteve com o governador Paula Câmara, que fez uma visita à sua casa, numa longa manhã de conversas, segundo a família do ex-deputado. Falaram sobre o Vale do São Francisco e projetos de irrigação, com destaque para o Pontal, e trocaram ideias sobre o atual momento hídrico na região.

No ano passado, Osvaldo aproximou-se do governador e apoiou a candidatura de FBC, de quem era adversário histórico.

Em nota, o governador Paulo Câmara destacou a dedicação do ex-deputado ao desenvolvimento do Semiárido nordestino e as iniciativas do parlamentar para viabilizar ações de transformação na região.

A marca do petrolinense, destacam os familiares, foi a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). “Foi a luta dele a vida inteira. Ele sempre disse que foi o grande projeto da vida dele, levar a universidade para o Vale”, disse a filha Ana Amélia.