Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

A responsabilidade social

“Se proteger do ?Aedes aegypti? tem que ser visto como obrigação individual e responsabilidade social”. Quem fala assim é a pesquisadora Leda Régis, recém aposentada pela Fiocruz. E que por duas décadas, dedicou-se a estudar formas de combater os mosquitos, inclusive o da dengue.Ela acha que o Brasil e Pernambuco vivem momento de “extrema gravidade”. E que é preciso a junção de dois tipos de autoridades – “as do poder e as do saber” – para a deflagração de uma guerra eficaz contra o “inimigo”, que tanto preocupa a população e o Governo. “Infelizmente, as formas de combate ao Aedes ainda são as mesmas do século passado, e há resistência às mudanças”. Lembra que o Programa Nacional de Controle da Dengue tem um custo alto, mas que não adianta tentar resolver a questão “ditando regras”. Para a cientista, o mais importante, agora, é “difundir conhecimentos simples sobre a biologia do inseto, que qualquer analfabeto possa assimilar”. E mostra um caso: “Dizia-se, por exemplo, que a culpa da proliferação do mosquito era o jarro de planta com água. Isso prejudicou o entendimento das pessoas, que passaram a cuidar só do vaso”, lembra. “Há boas intenções nas informações, mas infelizmente algumas desnorteiam”.

Piscina é foco em Boa Viagem

Leitora Rafaela Lima acusa falta de cuidado em imóveis na Rua Professor Augusto Lima e Silva, em Setúbal. Um deles é essa residência, que passa por reforma. “Tem piscina sem uso, com água turva, possível foco do mosquito (da dengue)”, diz.

A suspeita

Ela pede que os órgãos públicos de saúde façam vistorias em restaurantes da mesma via, onde afirma haver excesso de mosquitos nos banheiros. Outro que reclama da sujeira e proliferação de bichos – inclusive insetos – é Fábio Soares Cardoso.

A convivência

“Um prédio do antigo INPS, na Praça do Sena, Vila Cardeal Silva, em Areias, está fechado e abandonado. Virou depósito de lixo, e criadouro de ratos, baratas, escorpiões. E também tem focos de mosquitos. Um perigo nesse tempo de dengue”, teme Fábio..

No Alto José do Pinho, Michele…

…Veloso denuncia que há um mês não tem água na Rua Cecília Reis. E lembra que o armazenamentos domésticos podem virar criadouros do Aedes.

Buracos podem contribuir

Morador da Rua Tapajós, na Estância, Zona Oeste, Herivelto José da Silva, afirma que esse buraco, “herança” de obra da Compesa, “já tem seis meses”. Diz que “é risco para os pedestres e para saúde dos moradores, quando acumula água”.

Esgoto de …

“O Recife está encolhendo. A qualidade de vida vem caindo. Os governantes estão de costas para a nossa linda cidade. Na calçada do Hospital Agamenon Magalhães, na Estrada do Arraial, um esgoto jorra detritos hospitalares há mais de 60 dias”.

…hospital na rua

Queixa é do leitor Pascoal Calábria, que mora em quarteirão próximo. “Será que as autoridades ainda não viram? As pessoas estão se acostumando a morar na merda. Está tudo tão desmantelado, que a população pensa que é assim mesmo”, lamenta.