Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Jaboatão usará drones no combate ao Aedes

A partir de hoje, cinco drones começam a ser utilizados em Jaboatão dos Guararapes com a finalidade de combater o Aedes aegypti, vetor do zika, dengue e chikungunya. Os equipamentos serão direcionados para os bairros com maior índice de infestação do mosquito.

Os dispositivos servirão de auxílio no mapeamento de imóveis fechados ou abandonados que estejam apresentando riscos à população. O anúncio da contratação do recurso foi feito durante a apresentação do Plano de Mobilização e Combate ao Aedes aegypti, realizado na última segunda-feira. O lançamento oficial será feito na Rua Sete, no bairro do Curado VI, onde foram detectados 13 imóveis particulares desocupados. Um deles possuía cisternas que tinham larvas do mosquito saindo pelas torneiras.

A ação terá início às 9h30. Esses imóveis abandonados ou fechados têm sido apontados como vilões nessa batalha contra o mosquito em várias cidades. Isso porque os agentes de endemias não conseguem entrar nessas áreas para colocar o larvicida e eliminar os focos do inseto. Em Jaboatão, um mapeamento inicial dos terrenos já foi realizado pelos agentes do município e já repassado para a Secretaria Executiva de Promoção à Saúde.

Além do drone, que vai cobrir a área do Curado VI, haverá outro drone em funcionamento em outra parte da regional Curado, um dispositivo em Prazeres, outro em Jaboatão Centro e um em Dois Carneiros. Os equipamentos estarão realizando a coleta de imagens durante 15 dias, em vários pontos da cidade.

A coleta dessas imagens ajudará a detectar os pontos mais críticos, que podem ser visitados, mediante entrada forçada nesses imóveis, autorizada pela lei nº 1245/2015 que foi sancionada anteontem. De acordo com essa legislação, é assegurada a autorização para a entrada forçada em imóveis particulares, no caso de recusa ou ausência de alguém que possa abrir a porta para o agente sanitário, quando isso s mostrar fundamental para contenção, combate e eliminação do mosquito.

A lei especifica os casos em que entrada forçada será utiliza da e estabelece que ser efetivada com respaldo d autoridade policial. Em casos de ausência d proprietário ou morador, uso da força deverá se acompanhado por um técnico habilitado em abertura de portas, que deverá reco locar as fechaduras após realizada a ação de vigilância sanitária e epidemiológica.

Governo Federal quer ativar Cenad

Uma das apostas do Governo Federal para conter a epidemia do Aedes aegypti e o avanço dos casos de microcefalia é ativar o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), que pertence ao Ministério da Integração Nacional e é coordenado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Criado em 2012 e ativado inicialmente numa estratégia de segurança pública e antiterrorista para a Copa das Confederações e Copa do Mundo de Futebol, o Cenad deverá desempenhar um papel estratégico neste momento de alerta da saúde nacional.

“Ele estará conectado com centrais de estados que estão enfrentando a epidemia e pode ser uma ferramenta de ajuda no controle do vetor e nas mobilizações sociais nos próximos meses”, disse Cláudio Maierovitch.

O centro agrega, por exemplo, Polícia Federal, Militar, Civil, Bombeiros, Exército, Defesa Civil e guardas municipais, e envolve também o sistema de videomonitoramento. De acordo com a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, hoje começam a ser definidas as articulações com os estados em alerta.

Na sexta, haverá uma reunião com os coordenadores estaduais de defesa civil. O Governo de Pernambuco já colocou à disposição o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR). Além dessa estratégia de defesa civil, Maierovitch destacou que cientistas estão correndo contra o tempo por uma vacina contra o zika.

Uma das apostas é que a vacina de febre amarela possa também imunizar contra o novo vírus. “Existe uma possiblidade teórica. Alguns pesquisadores estão falando dessa possibilidade, mas temos que aguardar”, comentou.

A formulação de uma vacina para o zika está entre as prioridades do Governo Federal como destacou a presidente Dilma Rousseff em visita ao Recife, no último final de semana. Contudo, a imunização pode se arrastar por anos, já que precisa de certificações de segurança e eficácia. Dessa forma, o combate ao mosquito transmissor é a atual profilaxia.

COLETIVA

Hoje a Secretaria de Saúde de Pernambuco destrincha os novos dados da microcefalia em Pernambuco. Há uma expectativa de que seja anunciado o número de gestantes já notificadas com fetos microcéfalos no Estado.