Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Piracicaba elimina 82% de larvas em área de teste

SÃO PAULO (Folhapress) – A prefeitura de Piracicaba (SP) anunciou ontem uma redução de 82% na quantidade de larvas do mosquito Aedes aeypti em área experimental o bairro Cecap/Eldorado, em comparação com setor vizinho reservado para controle.

O resultado foi alcançado com uma versão transgênica do mosquito transmissor dos vírus da dengue, zika, chikununya e febre amarela. A prefeitura agora planeja estender experiência a áreas centrais da cidade de 390 mil habitantes, 160 km a Noroeste da capital paulista.

Segundo a Secretaria de Saúde de Piracicaba, na temporada de dengue 2014/15, o bairro Cecap/Eldorado tinha presentado 133 casos de infecção, o maior índice da cidade. Na temporada seguinte, 015/16, houve um caso.

As fêmeas adultas do Aedes transmitem os vírus ao sugar o sangue de seres humanos. A empresa de origem britânica Oxitec criou uma linhagem de mosquitos machos (batizada OX513A) com um gene que faz suas larvas morrerem antes da fase alada. Soltos em quantidade suficiente, transmosquitos competem com machos selvagens por fêmeas, que não aceitam nova inseminação após a cópula. O sistema, ainda sem licença do Governo Federal para emprego generalizado, não elimina por completo as fêmeas picadoras, mas reduz muito sua população. A soltura dos mosquitos transgênicos no ambiente tem de ser contínua. A demanda resultante por insetos modificados passará a ser atendida por uma fábrica que a Oxitec construirá em Piracicaba. Sua sede, com produção limitada, fica em Campinas.

“Nos próximos anos faremos um investimento da ordem de milhões de reais nesta nova unidade de Aedes egypti do Bem”, diz Glen Slade, diretor da Oxitec do Brasil.