Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Zika transmitido pelo sexo

DOENÇA Autoridades sanitárias de Dallas (Texas, EUA) receberam confirmação do primeiro caso do vírus transmitido sexualmente

O estado norte-americano do Texas relatou ontem um caso de zika que teria sido transmitido sexualmente, levantando novas preocupações sobre a propagação de um vírus transmitido por um mosquito e ligado à microcefalia. As autoridades sanitárias do condado de Dallas, Texas (sul dos Estados Unidos), “receberam a confirmação dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do primeiro caso de zika vírus sexualmente transmitido no condado de Dallas em 2016”, diz um comunicado do Dallas County Health and Human Services (DCHHS).

“O paciente foi infectado com o vírus após uma interação sexual com um indivíduo doente que voltou de um país onde o zika vírus está presente”, informa a nota. Em sua conta no Twitter, o DCHHS informa que a pessoa doente adquiriu o vírus de alguém que viajou para a Venezuela (o país registra 4,7 mil casos suspeitos de pacientes contaminados com o zika).

No mês passado, o CDC informou sobre um caso relatado de zika transmitido sexualmente e outro caso do vírus presente no sêmen de um homem – mesmo que já tivesse sumido da corrente sanguínea.

Para pesquisadores, mais evidências são necessárias para confirmar se o contato sexual é um modo de transmissão. Em geral, o zika é transmitido através da picada do Aedes aegypti. No entanto, cientistas têm investigado a possibilidade de que o vírus também possa ser transmitido através do sexo. Um estudo publicado no ano passado sobre essa questão, revelou que o zika vírus foi isolado, em 2013, no sêmen de um paciente do Taiti (na Polinésia Francesa, que passou por uma epidemia de zika em 2013) após ele ter procurado tratamento para a presença de sangue no esperma, que aconteceu duas semanas após ele ter apresentado sintomas sugestivos de zika.

Há também o relato de um pesquisador que foi infectado fora dos Estados Unidos e que depois transmitiu o vírus à sua esposa, em 2008.

Para o médico Carlos Brito, membro do Comitê Técnico de Arboviroses do Ministério da Saúde, mesmo que seja confirmada a transmissão do zika pela relação sexual, isso teria um impacto limitado do ponto de vista epidemiológico, já que o principal transmissor continua sendo o Aedes. “Se for possível a transmissão sexual do vírus, haverá casos isolados”, acredita.

Ontem a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou a criação de uma unidade global para responder ao zika vírus. “Criamos uma unidade de resposta global, que reúne todos os funcionários da OMS na sede e nas regiões para examinar a resposta formal à doença”, afirmou um dos especialistas da organização, Anthony Costello.