Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

“Ele é teimoso, mas não vai vencer o Brasil”

#XÔAEDES Diretora da OMS disse que luta contra o mosquito será uma “longa travessia” e destacou ações do governo federal

BRASÍLIA – Em seu primeiro dia de visita ao Brasil, a diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margareth Chan, elogiou o desempenho de autoridades brasileiras na condução de medidas para enfrentar o aumento de casos de nascimento de bebês com microcefalia, disse que o País assumiu papel de liderança e procurou passar mensagem tranquilizadora sobre eventuais riscos para turistas e atletas, durante a Olimpíada. “Precisamos do empenho de toda a sociedade para combater o mosquito. Ele é teimoso, mas não vai vencer o Brasil”, disse.

Ao chegar ao Centro Nacional de Gerência de Riscos e Desastres (Cenad) do Ministério da Defesa, pouco depois de se encontrar com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, disse que a luta contra o zika será uma “longa travessia” e destacou estar impressionada com as ações para mobilizar a sociedade civil, setores religiosos e empresariado.

Margareth afirmou entender a preocupação e ansiedade em torno da zika e microcefalia. Referindo-se ao Aedes aegypti como “grande inimigo”, ressaltou a importância de se compartilhar informação e de se trabalhar no combate aos criadouros. “Dois terços estão em residências, daí a necessidade de informar a população.”

Margareth Chan elogiou também a transparência do governo brasileiro para compartilhar informações relacionadas a zika e microcefalia A afirmação foi vista como uma defesa ao governo às críticas feitas nas últimas semanas por representantes da comunidade científica internacional. Eles se queixaram que o Brasil estaria resistindo em repassar informações importantes para condução de pesquisa em centros internacionais. “O governo está sendo transparente. Compartilhando todas as informações.”

A diretora falou também sobre assistência. Disse ser “visível” o empenho da presidente Dilma e do ministro Marcelo Castro em ofertar às famílias os melhores cuidados para que elas possam se prevenir e tratar a doença. “Muita gente me pergunta sobre a Olimpíada. O governo está trabalhando de forma constante. Posso assegurar que teremos um plano muito bom e alvos muito bons para as pessoas que venham terem o máximo de proteção. Estou confiante.”

IMIP

Hoje a diretora-geral da OMS, a diretora da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Carissa Etienne, e o ministro da Saúde visitam o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no bairro dos Coelhos, área central do Recife. A instituição é uma das que mais têm notificados nascimentos de bebês com suspeita de microcefalia.

Ao lado de autoridades estaduais, Margareth Chan, Carissa Etienne e Marcelo Castro vão conhecer o ambulatório do Imip destinado ao atendimento das crianças com a malformação congênita, além do centro de reabilitação físico e motor da instituição. A visita que estava programada ao governador Paulo Câmara, no Palácio do Campo das Princesas, foi cancelada.