Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Rio é exemplo em acolhimento

RIODE JANEIRO (ABr) – O governo do Rio de Janeiro lançou ontem o primeiro projeto do País voltado para o acolhimento de crianças com microcefalia e gestantes portadoras do vírus zika. O programa prevê, ainda, o oferecimento de ultrassonografias e ressonâncias para indicar a possibilidade de uma malformação do feto. O projeto foi elaborado pela equipe médica do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer (IEC) e contará com a participação das secretarias e prefeituras de cada município que apresentar casos da doença em recém-nascidos ou gestantes.

O secretário estadual de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Júnior, classificou o projeto como inovador e referência na área, não somente para o Brasil como para o mundo. Segundo ele, uma rede de atendimento, que já está montada, estará atenta para todos os casos que surgirem visando realizar o contato com a gestante o mais rápido possível.

“Assim que a mãe apresentar os sintomas do vírus zika e for diagnosticada com a doença, entraremos em contato através de uma rede de atendimento de busca ativa par oferecermos uma ultrassonografia gratuita no Rio Imagem. Caso o feto seja diagnosticado, a mãe será encaminhada ao IEC, onde realizará uma ressonância que possibilitará uma precisão maio da condição do filho”, explicou O diretor-médico do IEC Paulo Niemeyer Filho, lembrou que o fato de a unidade oferecer a ressonância é pela maior precisão que ela oferece, além de não usar radiação o que é melhor para o bebê. Em um mês, 50 crianças de verão ser atendidas.