Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Saúde muda regras de doação

BRASÍLIA (Folhapress) – O Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgaram ontem novas regras para os procedimentos de doação de sangue devido ao risco de transmissão do vírus da zika.

As medidas ampliamos critérios que devem ser observados durante a etapa de triagem de doadores de sangue. Desde dezembro de 2015, pessoas com suspeita de infecção por zika ou que tiveram o diagnóstico clínico ou laboratorial da doença são consideradas inaptas a doar sangue por 30 dias.

Agora, as regras foram ampliadas também para as pessoas que tiveram contato sexual com parceiros que tiveram sintomas e diagnóstico do vírus da zikanos três meses anteriores. Neste caso, a pessoa também se torna inapta a doar sangue por 30 dias.

Segundo o governo, a atualização foi necessária “frente a novas evidências científicas de transmissão do vírus zika por transfusão e contato sexual”. A transmissãopormosquitos vetores, no entanto, ainda é considerada a principal via de infecção pelo vírus.

Além do zika, nota técnica assinadapeloministérioepela Anvisa também traz recomendações semelhantes em relação aovírus chikungunya. Neste caso, pessoas que tiveramodiagnósticode infecção ficam impedidas de doar sangue por até 30 dias após a recuperação completa. Mesmo períodovale para pessoas que se deslocaram ou que procedem de regiões endêmicas, com alto número de casos.

Em nota, o MS afirma que os serviços de hemoterapia “já estão atentos às condutas de triagem” a serem adotadas frente ao zika e chikungunya.