Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Pelo resgate da autoestima

Elevar a autoestima das mulheres que passaram pela dor da remoção de uma mama. Esse é o objetivo do Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária, realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), que concederá o procedimento de reconstrução de forma gratuita a 50 mulheres que já tiveram o câncer. A ação acontece de 24 a 29 de outubro, semana dedicada ao Câncer de Mama. As pacientes candidatas à cirurgia devem ser obrigatoriamente provenientes do SUS. Ao todo serão 500 próteses mamárias distribuídas em todo o Brasil.

No Recife, as cirurgias serão realizadas em quatro hospitais públicos. Entre eles o Hospital das Clínicas, Imip, Agamenon Magalhães e o Hospital de Câncer. Na rede privada, o procedimento será ofertado pelos hospitais Esperança, De Ávila e Albert Sabin. A SBCP ressaltou que todas as etapas serão fornecidas gratuitamente para as pacientes, desde a disponibilidade da equipe médica, o hospital, até a colocação do implante mamário.

De acordo com o presidente regional da Associação Brasileira de Cirurgia Plástica, Zairo Zacchê, a iniciativa visa a ajudar as mulheres a recompor a autoestima. “Existe uma melhora muito grande na autoestima das pacientes após a reconstrução. O objetivo é ajudá-las com relação à deformidade que elas sofreram em decorrência do câncer de mama. Disponibilizamos os profissionais mais capacitados a fazer reconstrução mamária delas”, explicou.

A cirurgia de reconstrução mamária custa de R$ 10 mil a R$ 15 mil na rede privada. O médico e membro da Comissão Científica da SBCP, Pedro Pita, um dos integrantes da equipe de cirurgiões plásticos que participará da ação, ressaltou a importância do mutirão e a relevância do procedimento para elas. “A maioria não tem condições de fazer porque custa muito caro na rede privada. A importância maior é a psicológica. A mama para a mulher é o órgão que faz parte da feminilidade dela, do relacionamento com o parceiro e da beleza do corpo. Todos esses fatores influenciam. E, de repente, você perder isso e não reconstruir é um problema sério. A reconstrução é uma melhora na qualidade de vida.”

A gerente de transporte Edjane Torres de Melo, 40, foi diagnosticada há um ano com câncer de mama, por meio de um exame de rotina. Agora, no mutirão, ela vai ter a oportunidade de fazer a reconstrução. “É muito difícil não ter a mama, só em você olhar no espelho e não ver [a mama] mexe muito com o emocional. O mutirão vai nos ajudar a enfrentar essa barra”, desabafou.

As interessadas em fazer a reconstrução deverão entrar em contato pelos números: (81) 3427-6455, 99954-0785 ou 98909-5599 para realizar o cadastro.