Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Médicos do Recife suspendem atividades por 72 horas

Os profissionais de saúde da rede municipal de Recife decretaram paralisação de advertência para as próximas 72 horas, a partir desta quarta-feira (20). A decisão, foi tomada na assembleia em 12 de setembro. O atendimento às urgências e emergências será mantido durante todo o período da paralisação. Ficando restrito a suspensão das atividades a todos os serviços eletivos, ambulatórios e postos vinculados ao Estratégia de Saúde da Família (ESF). Todos os serviços adiados podem ser reagendados para os próximos dias.

De acordo com Valber Steffano, pediatra e diretor jurídico do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), a categoria vem negociando com a secretaria de saúde há oito meses e até agora houve poucos avanços. “Estamos há meses tentando chegar a um denominador comum e até agora quase não avançamos na discussão. Eles tentaram resolver algumas coisas, mas os pontos mais importantes não foram decididos”, pontuou o diretor. A rede de Saúde do Recife tem 1.149 médicos.

“Estamos precisando de médico neurologista, médico de pulmão e nada. Desde o mês passado tentamos marcar e não conseguimos. Remédios não existem, não tem ambulância e ainda temos que pagar pelo transporte”, relatou a paciente Maria Gorete Luz da Costa.

Em fevereiro deste ano, os profissionais iniciaram a campanha salarial de valorização do trabalho médico. “Nossas principais reivindicações são: insegurança nas unidades, melhores condições de trabalho e recomposição financeira”, apontou o diretor do Simepe. Ainda de acordo com ele, os médicos apresentaram uma proposta de reajuste plurianual, mas foi rejeitada pela prefeitura. A negociação então tentou avançar de acordo com a inflação. A categoria pediu um aumento de 6%, que seria 5% referente a inflação e 1% referente ao ganho. Mas a negociação não avançou. Outra queixa esta relacionada à segurança. “Temos relatos de ameaças e tudo mais. Por isso que a segurança também é um dos pontos principais da nossa demanda”, disse Steffano.

De acordo com a Secretaria de Saúde, desde o início do ano já ocorreram sete mesas gerais de negociação salarial. “Como quarta proposta apresentada aos servidores, a Prefeitura do Recife ofereceu abono salarial de R$ 600 para as jornadas de 8 horas, proporcional para as demais jornadas; reajuste de 16,13% no vale refeição, passando de R$ 15,50 por dia trabalhado, para R$ 18. Além da proposta de reajuste de 2%, condicionada à redução do custo da folha salarial do município para 48% da receita”, diz a nota.

A pasta informou que tem mantido contato permanente com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e a Secretaria Municipal de Segurança Urbana para discutir e reforçar as ações de segurança nas unidades de saúde e no entorno delas.