Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

SUS incorpora exames e remédios

Ministério da Saúde anunciou ontem duas novidades: Adultos diagnosticados com esclerose múltipla remitente recorrente poderão utilizar 0 medicamento acetato de glatirâmer na versão de 40 miligramas (mg) via Sistema Único de Saúde (SUS). Informou também ter ampliado 0 tratamento oferecido a pacientes com degeneração macular relacionada à idade, por meio da oferta do medicamento antigiogêníco e do exame de tomografia de coerência óptica.

Atualmente, a rede pública oferta apenas a versão de 20 mg do acetato de glatirâmer para os adultos com esclerose múltipla. De acordo

com 0 ministério, a incorporação vai permitir que 0 paciente reduza de sete para três as doses injetadas todas as semanas, melhorando a qualidade de vida

A esclerose múltíplapode ser classificada por níveis de evolução clinica. Casos remitentes recorrentes têm por características surtos auto limitados de disfunção neurológica com recuperação completa ou parcial. Segundo a pasta, cerca de 85% dos padentes com a doença são inirialmente diagnosticados como remítentes recorrentes. Os outros níveis são secundariamente progressiva e primariamente progressiva.

A doença afeta normalmente

adultos entre 18 e 55 anos de idade. Além disso, é duas a três vezes mais frequente em mulheres. Entre os sintomas estão fadiga, formigamento ou queimação nos membros, visão embaçada, dupla ou perda da visão, tontura, rigidez muscular e problemas cognitivos.

Degeneração macular

A ampliação do tratamento oferecido a pacientes com degeneração macular relacionada à idade por meio da oferta do medicamento antígiogênico e do exame de tomo-grafia de coerência óptica são, segundo 0 ministério, importantes para a detecção precoce e para tratar casos já confirmados, estabilizando a evolução da doença. A degeneração macular atinge a parte central da retina e leva à perda progressiva da visão central.

Os dois novos procedimentos

devem atender pacientes a partir dos 60 anos. A degeneração macular relacionada à idade é uma doença progressiva que acomete a área central da retina, onde as imagens são formadas, levando à cegueira.