Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Posto volante de vacinação encerra hoje

Fonte: Jornal do Commercio

Termina hoje a vacinação nos postos volantes montados pela Prefeitura do Recife para intensificar a imunização contra a gripe nos grupos formados por crianças com idades entre seis meses a cinco anos, gestantes e puérperas (mães no pós parto, até 45 dias). De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS), nenhum dos três grupos prioritários alcançou a meta de 90% de cobertura vacinal. A Campanha Nacional Contra a Influenza segue até o dia 30 de junho.

A situação mais crítica é a do grupo das puérperas. Até ontem, das 2.640 doses que deveriam ter sido aplicadas no Recife, apenas 789 foram destinadas a mulheres no período pós-parto, um percentual de 29,89%. Das 16.060 gestantes da capital, 5.440 receberam o imunizante, um percentual de 33,87%. Já entre as crianças, a cobertura vacinal era de 32,01% até ontem. Dos 110.824 meninos e meninas que deveriam ser vacinados contra a gripe, apenas 35.470 foram imunizados.

Das 8h até as 16h, 15 pontos da cidade estarão com postos volantes para aplicação da vacina. São escolas, creches, e Centros Comunitário da Paz (Compaz), que estarão abertos mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus para atender a esses três públicos prioritários. Além deles, 130 unidades de saúde da cidade estarão abertas até o dia 30 de junho, das 8h às 17h. A lista completa dos pontos fixos e volantes pode ser conferida no site da prefeitura (www.recife.pe.gov.br).

“Devido à baixa cobertura da vacinação contra influenza nesses grupos prioritários específicos, a prefeitura lançou a estratégia, que funciona até esta sexta-feira. É importante ressaltar, no entanto, que as 130 salas de vacina disponíveis na cidade permanecem abertas para todos os grupos prioritários”, lembra Sofia Costa, diretora de Atenção Básica à Saúde da capital. Nesses locais, além de crianças, gestantes e puérperas, podem ser imunizadas pessoas com deficiência, adultos de 55 a 59 anos e professores, pessoas idosas, profissionais de saúde, pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais (diabéticos, obesos, transplantados, entre outros), funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa, profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, militares, bombeiros, guardas municipais), além dos portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo.

Para agilizar a vacinação, a prefeitura recomenda que os usuários levem um documento de identificação, a carteira de vacinação e o cartão SUS (se tiverem esses dois últimos). Parte do público-alvo precisa apresentar também documentos que provem a necessidade da imunização. Os professores e os profissionais de saúde, por exemplo, devem levar comprovantes laborais, como crachás ou carteira de trabalho. Já as mães que estão no puerpério deverão levar documentação que comprove a realização do parto nos últimos 45 dias, como a certidão de nascimento da criança. Pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais devem apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina.