Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Nova baixa nas equipes de saúde

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco.

Já se passaram oito meses desde as confirmações dos primeiros casos da covid-19 no Recife, que acumula atualmente 37.495 pessoas que já foram infectadas pelo novo coronavírus, com 2.493 mortes. Ao longo desse período, milhares profissionais de saúde também adoeceram, especialmente no pico da pandemia, e tiveram que se afastar da linha de frente. Agora, após vivenciada a fase de números de casos em baixos patamares, os registros de trabalhadores da saúde afastados voltam a aumentar dia após dia. Até ontem estavam afastados, na capital pernambucana, 34 profissionais da área (considerando os que têm vínculo com a rede municipal) por suspeita ou confirmação de covid-19. Entre eles, seis médicos, oito enfermeiros, sete técnicos em enfermagem e nove auxiliares de enfermagem da Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife. Há um mês (12 de outubro), eram 15 profissionais de saúde da rede municipal que estavam de licença com sintomas da doença. Duas semanas depois (26/10), 17; em 2 de novembro, o número subiu para 24 e ultrapassou a marca de 30 afastamentos ontem. Ao todo, em Pernambuco, de 12 de março ao último dia 9, foram notificados 61.893 casos suspeitos de covid-19 entre profissionais de saúde, considerando todas as redes de saúde, sejam públicas em todas as esferas, e também privada. Desse total, 22.475 (36,3%) tiveram confirmação da infecção por meio de exames laboratoriais. Outros 39.101 casos foram descartados e 303 considerados com diagnóstico inconclusivo. Além disso, 14 permanecem em investigação. Já do total de confirmações entre profissionais de saúde, 73,1% são mulheres e 34,1% encontram-se na faixa etária entre 30 e 39 anos. A categoria que mais tem adoecido, ao longo da pandemia, é a dos auxiliares e técnicos de enfermagem, com 6.427 casos que testaram positivos para o novo coronavírus, correspondendo a 28,6% das confirmações entre os trabalhadores da saúde. Entre os mais de 22 mil que adoeceram em Pernambuco, 70 não resistiram a complicações da infecção e foram a óbito.