Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

EUA aprova teste rápido de coronavírus para casa

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

O exame, que pode só pode ser obtido com receita médica, mostra o resultado em 30 minutos

O governo dos Estados Unidos emitiu na terça-feira uma autorização de emergência para o primeiro teste rápido de coronavírus realizado pela própria pessoa, sem a necessidade de sair de casa, no momento em que aumentam as restrições em uma tentativa de deter o aumento de casos de covid-19.

A Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) aprovou um kit de teste para pessoas com mais de 14 anos suspeitas de ter o novo coronavírus. O exame, que pode só pode ser obtido com receita médica, mostra o resultado em 30 minutos.

De acordo com a empresa que desenvolveu o produto, Lucira Health, o kit custará menos de 50 dólares. “Seguimos demonstrando uma velocidade sem precedentes na resposta a #COVID19”, tuitou o comissário da FDA, Stephen Hahn.

“A FDA autorizou o primeiro teste #COVID19 que é totalmente autoadministrado e proporciona resultados em casa. É um avanço importante, o que destaca nosso compromisso de ampliar o acesso aos testes”.

Uma autorização de emergência é uma permissão temporária ou sob certas condições concedida pela FDA para responder a uma situação urgente, como uma pandemia. Posteriormente pode ser revogada ou modificada, caso sejam revelados novos dados sobre sua eficácia ou segurança.

A FDA aprovou no fim de abril e início de maio o uso de testes em casa, mas, ao contrário do kit da Lucira Health, laboratórios autorizados deveriam apresentar os resultados.

Até terça-feira, os Estados Unidos registravam um balanço de 11.340.563 casos de covid-19 e 248.429 mortes, o país mais afetado do mundo pela doença, segundo a Universidade Johns Hopkins.