Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

SES garante ter transparência

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

O Ministério Público Federal (MPF) informa que o inquérito, voltado a apurar a transparência da regulação dos leitos destinados a casos suspeitos e confirmados de covid-19 em Pernambuco, foi aberto no último dia 19 dentro de um procedimento preparatório que já havia sido instaurado desde maio. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) alega que mantém um painel aberto com dados e divulga diariamente o número e o respectivo percentual de ocupação dos leitos. ‘Vale lembrar que. nos últimos meses, com a redução da demanda e para evitar a ociosidade nas vagas da rede pública, mais de 1,5 mil leitos foram bloqueados em Pernambuco. Contudo, com a flutuação dos casos nas últimas semanas, a SES-PE já abriu 107 leitos para o atendimento aos pacientes com síndrome respiratória aguda Grave (srag) em hospitais de referência para covid19. E, nos próximos 10 dias, outros 70 leitos serão colocados à disposiçao da população’, diz, em nota, a SES. A pasta ainda frisa que, de acordo com o Índice de Transparência da Covid-19, estudo realizado pela organização não governamental Open Knowledge Internacional, desde abril, quando começaram as análises, Pernambuco tem se mantido entre os Estados com ‘alto nível’ de transparência, ‘o que possibilita a todos os pernambucanos compreender a dimensão da doença no território’. Também na nota enviada à reportagem como resposta sobre o inquérito instaurado pelo MPF, a SES salienta que, durante o processo de convivência com a doença, flutuações no número de casos podem acontecer, mas, até o momento, os dados não configuram uma segunda onda. ‘A secretaria tem seguido os mais rígidos parâmetros científicos em suas análises e, como informado permanentemente, não se furtará em tomar medidas mais rígidas caso os adoecimentos apresentem uma tendência clara e permanente de crescimento.’ EXAMES Sobre os 6,86 milhões de testes para o diagnóstico do novo coronavírus comprados pelo Ministério da Saúde e que perde a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, informou que Pernambuco possui 318 kits desses testes (RT-PCR, considerado o padrão-ouro no diagnóstico da covid-19, pois detecta o vírus em fase aguda da doença), com vencimento em dezembro. ‘Isso dá um total de 30 mil exames e pode ser que o Estado não consiga utilizar tudo’, disse Longo, em coletiva de imprensa. O secretário também destacou que aguarda estudo sobre prorrogação da validade dos testes. Ao todo, o Ministério da Saúde investiu R$ 764,5 milhões em testes no Brasil, e as unidades para vencer custaram R$ 290 milhões.