Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Covid-19: um alerta sobre nova variante

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

Covid-19: um alerta sobre nova variante

Desde que foi detectado há um ano, na cidade de Wuhan (China), o novo coronavírus já mudou bastante e, com isso, o código genético que carrega tem sido alterado. Segundo a Organização Pan-americana da Saúde (Opas), três variantes do vírus, detectadas inicialmente no Reino Unido, África do Sul e Brasil, já foram encontradas em 14 países das Américas. Uma dessas novas cepas, batizada de P.1, foi identificada em janeiro em pessoas que desembarcaram em Tóquio (Japão), após passagem pelo o Amazonas. E é essa variante que tem despertado um leque de preocupações em pesquisadores e autoridades sanitárias ao redor do planeta. “As mutações dos vírus respiratórios são esperadas. É uma forma de eles se adaptarem ao hospedeiro. Estudos mostram que algumas variantes trazem alteração de genes que as tornam mais contagiosas”, explica o médico Paulo Sérgio Ramos, chefe do Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Também pesquisador da Fiocruz no Estado, ele chama a atenção para o fato de que, ao passo que as variantes se tornam mais contagiosas, elas atingirão mais pessoas e consequentemente se aumenta a proporção da pandemia de covid-19. “Elas farão mais pessoas doentes e proporcionalmemte haverá maior número de mortes. Não se sabe ainda, contudo, se a variante em si aumenta diretamente o risco de gravidade da covid-19 ou de óbito.” Segundo informou a Opas, na quinta-feira (28), as pessoas infectadas com a cepa britânica “têm um risco maior de morrer do que as pessoas infectadas com outras variantes”. Já em relação à variante sul-africana, a Opas indicou que estudos preliminares sugerem que ela está associada “a uma carga viral mais elevada, o que poderia sugerir uma potencial maior transmissibilidade”. Além disso, a organização internacional destacou que essas mutações “levantou preocupação sobre a possível maior disseminação e gravidade dos casos de covid-19 na região das Américas”. Sobre a cepa do Amazonas, autoridades da Opas alegam que ainda é cedo para tirar conclusões. Para o infectologista Paulo Sérgio Ramos, a variante do Amazonas tem habilidade de fugir aos mecanismos de reconhecimento dos anticorpos contra o vírus. “Teoricamente uma pessoa infectada por uma dessa variante teria maior risco de se reinfectar, até mais precocemente do que na cepa original, sobre a qual estudos mostram que, quando ocorria a reinfecção, era num período de três a seis meses”, diz o médico. Ele acrescenta que se acredita na possibilidade de as pessoas se reinfectarem mais precocemente com essa nova variante (do Amazonas). “Isso pode ser explicado pela forma que o vírus tem de escapar ao mecanismo de imunidade humoral, aos anticorpos.” Em Pernambuco, segundo o secretário Estadual de Saúde, André Longo, ainda não foram identificadas novas linhagens do vírus. “Em parceria com o Instituto Aggeu Magalhães (unidade da Fiocruz em Pernambuco), estamos fazendo o sequenciamento genético, e a expectativa é que, nos próximos dias, possamos ter resultado”, informa Longo. Para controlar as modificações do coronavírus que podem agravar a pandemia, ou tornar as vacinas menos eficazes, o genoma precisa ser sequenciado. “Recebemos amostras na quarta-feira (27) à tarde para o sequenciamento, o que começará a ser feito na próxima semana. É uma espécie de vigilância; estamos na eminência de descobrir essa variante em diferentes pontos do Brasil, já que as fronteiras estão abertas e os pacientes (de Manaus, infectados com nova cepa do coronavírus) estão sendo transferidos (para Pernambuco e outros Estados)”, ressalta o biomédico Marcelo Paiva, pesquisador colaborador da Fiocruz Pernambuco e professor da UFPE. Ele destaca que, como a P.1 tem sido dominante no Amazonas, detectada em mais de 90% dos doentes, certamente a cepa será encontrada em mais Estados. A preocupação com essa linhagem do vírus, segundo Marcelo, é imensa. “Ela preocupa pelo ponto de vista científico e pela questão da saúde pública. É uma variante que aumenta a transmissão (do vírus) em até 70%, e isso em meio a um quadro altíssimo de casos e mortes que a gente vem vivenciando diariamente. Isso é desesperador. Começamos a ver as coisas acontecendo no Norte, e precisamos sempre olhar um pouco para o lado da gente também”, sublinha o pesquisador, ao frisar que autoridades de demais regiões devem adotar monitoramento e medidas para se evitar uma minipandemia dentro da pandemia que já é extremamente grave. Na visão de Paulo Sérgio, novas cepas fazem o controle da covid-19, no Brasil, tornar-se mais complexo. “Não se sabe dizer se isso impacta numa menor eficácia das vacinas. Mas, à medida em que a campanha de imunização tem ocorrido de forma lenta, a gente pode perder o controle da pandemia. Uma das hipóteses é que isso possa estar ocorrendo em Manaus: um misto da falta dos mecanismos de contingência, como distanciamento social, com uma explosão de casos associados à nova variante”, salienta o infectologista. Mais 6,5 mil Amanhã a Prefeitura do Recife dá início à vacinação dos trabalhadores da atenção básica à saúde. São cerca de 6,5 mil profissionais dessa área. O cadastro deve ser feito de forma digital, através do Conecta Recife, e as pessoas desse grupo poderão se vacinar nos nove centros de vacinação já abertos ou nos três pontos com drivethru. “A gente vai poder garantir que essa linha de frente da saúde, que é tão importante na cidade, sejam os agentes de saúde, os agentes de endemias, profissionais que trabalham em nossas unidades e que estão no dia dia da atenção básica, seja vacinada”, disse o prefeito João Campos. Dia de vacina De domingo a domingo, no Recife, a vacinação dos idosos a partir dos 85 anos é realizada, das 7h30 às 18h30, em 9 centros de vacinação. São eles: Compaz Dom Helder Câmara, no Coque; Unidade Guilherme Abath, no Hipódromo; Escola Nilo Pereira, em Casa Amarela; Compaz Miguel Arraes, na Caxangá; Compaz Ariano Suassuna, no Cordeiro; Escola Miguel Arraes de Alencar, na Estância; Geraldão, na Imbiribeira; Escola Nadir Colaço, na Macaxeira; e na UPA-E Fernando Figueira, no Ibura. Esse grupo ainda tem como opção um dos três pontos de drive-thru: Parque da Macaxeira, Geraldão e UFPE. Agende online Postos, esquema drive-thru e vacinação em casa fazem parte das estratégia para imunização dos grupos prioritários no Grande Recife. Na capital, a marcação é feita pelo minhavacina.recife. pe.gov.br ou pelo app Conecta Recife. Já em Jaboatão, o agendamento acontece pelo app De Olho na Consulta ou pelo deolhonaconsulta.jaboatao.pe.gov.br. Em Olinda, a marcação é feita pelo olinda. pe.gov.br, e a dose da vacina é aplicada no Shopping Patteo (drive-thru ou piso 2). No caso de Paulista, não é necessário agendamento, e são três os locais de vacinação: Shopping Norte Janga, Policlínica Adolfo Speck e USF Ana Nery. Tecido ou N95? As máscaras de tecido continuam eficazes contra o novo coronavírus, até mesmo contra as novas variantes, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). A explicação da entidade é que a forma de transmissão das novas cepas é a mesma. Recentemente a França pediu que se deixe de usar algumas máscaras de tecido, como as caseiras, pois se acredita que elas não filtrem o suficiente com o aparecimento de novas variantes. Mas a OMS destacou que não há indício que sugira mudança na transmissão do vírus e que, por isso, neste momento, não existe intenção de mudança das recomendações. Para idosos O Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) criou um grupo virtual de idosos, com encontros a partir de 24/2, todas às quartas-feiras. O objetivo é trabalhar questões relacionadas ao envelhecimento neste período de pandemia. Ao todo, serão realizados dez encontros, das 10h às 12h. A atividade é voltada para pessoas a partir dos 60 anos, que tenham acesso à internet e sejam ambientados com o Google Meet. A intenção é criar um espaço de socialização, reflexão e troca de experiências entre idosos. Para participar e receber informações, enviar e-mail: spa.psi@ufpe.br. Adolescência Com o mote Gravidez na adolescência: não é virtual, ela é real!, a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) promove o Fórum Estadual de Prevenção da Gravidez na Adolescência. A conferência ocorre na plataforma do Núcleo de Telessaúde da SES, nesta quarta (03), das 14h às 17h, e pode ser acompanhada pelo canal do Telessaúde no Youtube (bit.ly/2M8qZf6). “É necessário o apoio de programas de prevenção da gravidez, por meio do acesso ao planejamento reprodutivo, incluindo garantia dos métodos contraceptivos e educação sexual”, diz a gerente de Atenção à Saúde da Mulher da SES, Cleonúsia Vasconcelos. ‘Com novas variantes, o controle da pandemia fica mais complexo. Não se sabe o quanto isso impacta numa menor eficácia das vacinas”, diz o infectologista Paulo Sérgio Ramos ‘Em parceria com o Aggeu Magalhães, estamos fazendo sequenciamento genético. Esperamos ter resultados nos próximos dias”, informa o secretário André Longo ‘Avalio ser extremamente perigoso a gente estar ignorando esta variante (detectada em Manaus). Aliás, não só ela, mas todas as outras”, salienta o pesquisador Marcelo Paiva