Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Vacinados superam infectados

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

IMUNIZAÇÃO Dados do Financial Times mostram que o mundo já superou os 103 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19

O número de pessoas vacinadas contra a covid-19 em todo mundo já é maior do que o total de casos confirmados desde o início da pandemia, de acordo com a publicação do Financial Times. O rastreador de vacinas do jornal indica que ontem o número de doses administradas superou os 103 milhões de produzir globalmente. A marca representa os casos reportados oficialmente pelos países, mas, devido à natureza fragmentada dos relatórios, é provável que o total seja maior. ‘O fato de termos tantas vacinas é uma grande e boa notícia que nos foi transmitida em pedaços. Este momento reúne tudo, mostrando o rápido rápido nos movemos e longe chegamos ‘, afirmou Michael Head, pesquisador de saúde global da Universidade de Southampton. Apesar disso, ainda há desafios para vacinação em massa da população. A Suíça recusou a permissão para o uso da vacina desenvolvida pela universidade de Oxford, em parceria com uma AstraZeneca, se tornando o primeiro país europeu a vetar a administração do imunizante. A SwissMedic, a agência médica reguladora do país, alegou falta de dados para chegar a alcançar firmes sobre a eficácia do imunizante. ‘Para a vacina da AstraZeneca, os dados disponíveis e obtidos até o momento ainda não são suficientes para aprovação’, afirmado o órgão. É esperado que uma nova avaliação sobre a vacina seja feita após os resultados de dois outros ensaios clínicos na América do Norte e do Sul. Horas depois, o ministro da saúde da Bélgica, Frank Vandenbroucke, afirmou ontem que o Conselho Superior de Saúde do país sugeriu que uma vacina contra covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, em parceria com a AstraZeneca, não seja administrada em pessoas com menos de 55 anos. Diversos países europeus restringiram a aplicação da vacina em idosos, como França, Alemanha, Itália, Suécia e Polônia, apesar da aprovação do imunizante pela Agência Europeia de Medicamentos Vanderbroucke afirmou que a Bélgica revisará o seu plano de vacinação, já que o imunizante Oxford / AstraZeneca foi parte do plano de vacinação prioritária do país. O México, por outro lado, aprovou uma vacina contra a covid-19 Sputnik V para uso emergencial horas após a publicação de um estudo que constatou que o imunizante tem resultados próximos de 91%. O porta-voz do governo mexicano para os assuntos da pandemia, Hugo López-Gatell, disse que o Ministério da Saúde do país assinou um contrato de compra de 400 mil doses da vacina, que vão chegar ainda em fevereiro. Até agora, as autoridades mexicanas já distribuíram 675 mil doses de vacinas, todas da Pfizer, cujo imunizante foi aprovado para uso emergencial em dezembro. O México também autorizou, em janeiro, o uso emergencial da vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford