Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Testes de spray anticovid

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem em duas redes sociais que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) receberá em breve um pedido de análise para uso emergencial de um medicamento israelense no combate à covid-19. O presidente já havia citado possibilidade de importar a droga, chamada EXO-CD24, na última quinta-feira, após conversa por telefone com o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. “EXO-CD24 é um spray nasal desenvolvido pelo Centro Médico Ichilov de Israel, com eficácia próxima de 100% (29/30), em casos graves, contra a covid. Brevemente será enviado à Anvisa o pedido de análise para uso”, afirmou Bolsonaro nesta segunda-feira, sem deixar claro quando e quem enviará o pedido à agência. Acadêmicos israelenses afirmaram que 29 dos 30 pacientes com casos moderados a graves de covid-19 tratados com EXO-CD24 tiveram uma recuperação completa em cinco dias. Mais testes em humanos são necessários para provar que a droga inalada – desenvolvida como um medicamento para combater o câncer de ovário – realmente funciona. O estudo não comparou a droga a um placebo, o que significa que os cientistas não podem afirmar com certeza se o medicamento está por trás da rápida recuperação dos pacientes. Bolsonaro defende que o Brasil participe da 3ª fase de testes do medicamento. No passado, o presidente defendeu o uso precoce de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19, inclusive alguns capazes de provocar efeitos colaterais graves. Ignorando alertas da comunidade científica, Bolsonaro estimulou as pessoas a tomar cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina.