Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Goiana determina restrições

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

O município de Goiana, na Mata Norte de Pernambuco, começou ontem a restringir a circulação de pessoas para tentar conter a covid-19. O município é o quinto da região da Zona da Mata a editar um decreto suspendendo as aulas presenciais e limitando o horário do funcionamento de lojas, bares e restaurantes. Além de Goiana, nos últimos dias, as prefeituras de Nazaré da Mata, Carpina, Tracunhaém e Buenos Aires anunciaram medidas restritivas para evitar a disseminação do vírus. Em vídeo publicado nas redes sociais, o prefeito de Goiana, Eduardo Honório Carneiro, detalhou que o comércio deverá ser fechado às 17h, bares não poderão permanecer abertos após as 20h e todas as escolas (estaduais e municipais) não poderão reabrir. Também haverá barreiras sanitárias na entrada da cidade. “Tomei essas medidas para evitar uma quantidade maior de contaminação no município. Esta foi uma medida restrita que tomei junto com os vereadores, para evitar aglomerações e contaminações”, afirmou o prefeito. As medidas permanecerão em vigor até o dia 14 de março.

DECRETO

A partir de amanhã passa a valer o decreto estadual que determinou a suspensão de atividades econômicas e sociais, das 20h às 5h, em 63 municípios de três regiões de Pernambuco. Nos sábados e domingos, o horário de suspensão começará a partir das 17h. As medidas, com validade inicial até 10 de março, foram determinadas porque nas 2ª, 4ª e 9ª Gerências Regionais de Saúde (sedes em Limoeiro, Caruaru e Ouricuri, respectivamente) a lotação dos leitos para tratamento de pacientes com covid-19 está acima dos 90%. O governo estadual também voltou atrás no calendário de retorno das aulas presenciais para alunos do ensino infantil e fundamental na rede pública. O retorno seria em 1º de março, mas passou para dia 15.