Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Recife quer 200 mil doses

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

IMUNIZAÇÃO Prefeitura definiu a quantidade de vacinas contra um covid-19 que pode adquirir junto ao consórcio da Frente Nacional de Prefeitos

Um dia após firmar acordo para participar do consórcio com municípios brasileiros interessados em adquirir vacinas contra a covid-19, a Prefeitura do Recife anunciou que pretende comprar 200 mil doses do imunizante e que incluirá os trabalhadores de educação público prioritário, caso a aquisição das doses seja de fato realizada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Ontem, as prefeituras do Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, e Caruaru, no Agreste do Estado, confirmaram interesse na compra coletiva. A Prefeitura de Petrolina, no Sertão, já faz parte do consórcio. ‘Nós vamos conseguir aumentar a velocidade da vacinação dos idosos e conseguir fazer a vacinação dos trabalhadores da educação. Só na rede própria do Recife, são 10 mil trabalhadores da educação que nós queremos vacinar da maneira mais rápida possível ‘, afirmou o prefeito do Recife, João Campos. Entre os trabalhadores da educação estão professores, auxiliares de desenvolvimento infantil que trabalham na escola, assistentes de educação especial, e ainda os profissionais do setor administrativo. Na próxima sexta-feira, a frente enviará um texto-base para que todos os prefeitos possam preparar seus projetos de lei e enviá-los à Câmara de Vereadores. O projeto que formaliza a entrada da gestão no consórcio precisa ser aprovado pelos parlamentares até o próximo dia 19. ‘Os locais estão preenchidos o quantitativo de doses que desejam adquirir. Mas, se o governo federal arcar com a compra, esse número deverá inscrever-se não valerá de nada, porque o critério de distribuição será da União. Então poderemos ter uma distribuição igualitária para todos os municípios ‘, explicou o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, um dos vice-presidentes da FNP.

ESTADO

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e outros 16 líderes estaduais, ontem, as instalações farmacêutica União Química no Distrito Federal, onde poderá ser fabricadas doses da vacina russa Sputnik V para o Brasil, caso haja aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A intenção dos governadores é negociar a compra direta da imunizante, se o governo federal não tiver condições de atender os Estados. A farmacêutica garantiu ter 10 milhões de doses da vacina disponíveis para ser sentida ao Brasil. A documentação do Sputnik foi entregue à Anvisa e, tendo permissão, já deveremos ter, a partir de abril, a fabricação. Isso vai nos ajudar a acelerar o processo de vacinação ‘, disse Câmara. A farmacêutica prometeu produzir e enviar ao País, até dezembro, 150 milhões de doses. A Sputnik V foi a primeira vacina contra a covid-19 registrada no mundo. Mas foi recebida com desconfiança ao não serem divulgados detalhes técnicos sobre seu desenvolvimento. Na segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro vetou artigos da MP nº 1003, que passou a ser a lei nº 14.121, dificultando a aquisição da vacina.

Entre os vetos, estava o que determinava a concessão da autorização emergencial da Anvisa, em cinco dias, de imunizantes já aprovados em agências reguladoras de nove países. Com isso, a farmacêutica União Química deverá concluir todos os protocolos de submissão ao órgão. Jaboatão, Petrolina e Caruaru também têm interesse na compra